Absolvido advogado que matou homem em briga de trânsito

Absolvido advogado que matou homem em briga de trânsito
Créditos: Nata-Lia / Shutterstock.com

O advogado Adahil Luiz Benedito foi absolvido da acusação de matar Leandro Lemes dos Santos e de tentar matar Jaison dos Reis Alves durante briga de trânsito em Goiânia. O Conselho de Sentença acatou a tese de legítima defesa apresentada durante os debates pelo advogado Airton Oliveira de Carvalho em sessão do 1º Tribunal do Júri da comarca de Goiânia no dia 02/12/2016.

Adahil havia sido denunciado pelo Ministério Público do Estado de Goiás (MPGO), que requereu a condenação do acusado por homicídio e tentativa de homicídio. Segundo os autos, Leandro Lemes e Jaison retornavam de Trindade, quando, nas imediações do Setor Vila Regina, Adahil se aproximou do carro em que estavam e iniciou-se uma discussão. Em seguida, Leandro ultrapassou Adahil e parou em um semáforo da GO-060. Eles desceram do carro e começaram a discutir com o advogado, quando Adahil sacou a arma e atirou em ambos. Leandro não resistiu aos ferimentos e morreu no dia seguinte. Jaison, no entanto, sobreviveu. Dias depois, o advogado compareceu espontaneamente na delegacia de polícia e confirmou a autoria do crime. Em interrogatório judicial ele sustentou que não tinha a intenção de matar as vítimas, mas somente de defender-se das agressões que estava sofrendo.

A sessão foi presidida pelo juiz Jesseir Coelho de Alcântara. “O Conselho de Sentença reconheceu a materialidade das lesões corporais e sua consequente letalidade, atribuindo a autoria do fato ao réu. Exposto o quesito absolutório foi aceito pelos jurados”, escreveu o juiz na sentença. (Texto: Érica Reis Jeffery – estagiária do Centro de Comunicação Social do TJGO)

Fonte: Tribunal de Justiça de Goiás

Se vives de acordo com as leis da natureza, nunca serás pobre; se vives de acordo com as opiniões alheias, nunca serás rico.

- Sêneca

O dia que chegar, chegou. Pode ser hoje ou daqui a 50 anos. A única coisa certa é que ela vai chegar.

- Ayrton Senna