Presidente do TJSP conhece soluções de inovação para Justiça em Florianópolis

Plenário define tese de repercussão geral sobre responsabilidade de entes públicos em terceirização
Créditos: Jefferson Bernardes / Shutterstock.com

O presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, desembargador Paulo Dimas de Bellis Mascaretti, esteve, no dia 2, em Florianópolis – acompanhado pelos juízes assessores da Presidência Ana Paula Sampaio de Queiroz Bandeira Lins (Gabinete Civil), Tom Alexandre Brandão e Aléssio Martins Gonçalves (Tecnologia da Informação) e pela secretária Rosely Padilha de Sousa Castilho (STI) –, em visita às instalações da Softplan (empresa que desenvolve o sistema SAJ, solução adotada para o gerenciamento dos processos judiciais do TJSP) para conhecer a empresa de perto e acompanhar o andamento dos principais projetos de tecnologia de interesse do Tribunal de Justiça. Em pauta, as soluções de inovação adotadas para o gerenciamento dos processos judiciais.

Durante a visita, Paulo Dimas conheceu as equipes responsáveis pelo desenvolvimento da solução SAJ; as metodologias ágeis de trabalho; e as instalações físicas da Softplan, no Sapiens Parque, polo nacional de tecnologia, que vem sendo considerado como o Vale do Silício brasileiro. Depois de percorrer todos o

s setores da empresa, no auditório, em reunião conduzida pelo diretor-executivo da Softplan Ilson Stabile, foram apresentadas as metodologias utilizadas em cada ação e as soluções de inovação para a Justiça paulista.

As prioridades do Tribunal de Justiça, nesse momento, são as gravações de audiências no ambiente do SAJ e a implantação do TJSP Móvel. Várias outras ações foram debatidas estabelecendo-se um cronograma para a finalização dos projetos. O TJSP tem acompanhado, detidamente e de forma planejada, toda a evolução do sistema SAJ. Para Paulo Dimas, essa ação é de extrema importância “para que possamos estar seguros de que, no futuro, as necessidades do Tribunal de Justiça estarão bem atendidas”.

Soluções de inovação – A Softplan apresentou soluções de inovação para a Justiça que usam inteligência artificial. “O uso da computação cognitiva é a alternativa para tornar mais célere o trabalho dos juízes e magistrados. Com isso, as respostas à sociedade serão mais rápidas e mais assertivas”, disse Ilson Stabile. Uma das soluções apresentadas foi o “Assistente Digital do Magistrado” que promete conferir mais agilidade ao trabalho de decisão judicial. Com o uso da computação cognitiva, podem-se encontrar padrões e modelos nas sentenças para promover apoio à decisão dos juízes.

Também apresentou o cenário atual do Big Data no mundo, relacionando as possibilidades de aplicação da tecnologia de ciência de dados ao ecossistema da Justiça. Um dos casos é o SAJ Analytics, que analisa o histórico de dados do Tribunal e os combina com fatores externos ao segmento, como índices econômicos e sociais. A combinação dos dados pode prever padrões de entrada de novos processos e de principais classes das peças. Outras soluções apresentadas foram o SAJ Signer, o novo assinador digital que dispensa o uso do token físico para assinatura dos processos. “É inegável que a tecnologia traz uma contribuição importantíssima para a prestação de Justiça, haja vista a produtividade recorde que alcançamos no ano passado. Mas, lembro que nada vai substituir o trabalho humano”, destacou o presidente do TJSP. Segundo ele, essas soluções ajudam e apoiam a gestão e a tomada estratégica de decisão.

 

Fonte: Tribunal de Justiça de São Paulo

Se vives de acordo com as leis da natureza, nunca serás pobre; se vives de acordo com as opiniões alheias, nunca serás rico.

- Sêneca

O dia que chegar, chegou. Pode ser hoje ou daqui a 50 anos. A única coisa certa é que ela vai chegar.

- Ayrton Senna