Déficit primário do governo central chega a R$ 124,4 bi em 2017

32
 

Foi o quarto ano seguido com resultados negativos, mas ainda houve uma folga em relação à meta do governo

 

O déficit registrado pelo governo central no ano de 2017 foi de R$ 124,401 bilhões, menor do que o que foi visto em 2016, quando o valor alcançou R$ 161,276 bilhões. O déficit de 2017 foi corresponde a 1,9% do PIB no ano.

 

Mesmo com o resultado negativo, este ainda foi menor do que o permitido pela meta fiscal do governo, cujo valor máximo era de R$ 159 bilhões.

 

Em dezembro de 2017, as contas do governo central, que englobam Banco Central, Tesouro Nacional e Previdência Social, apresentaram déficit primário de R$ 21,168 bilhões, melhor desempenho desde o ano de 2014. Para fins de comparação, em dezembro de 2016, o déficit foi de R$ 62,466 bilhões.

 

Expectativas do mercado financeiro

 

O resultado do ano de 2017 foi melhor do que as expectativas previam, já que a mediana do déficit era de R$ 126,6 bilhões, conforme levantamento da Projeções Broadcast com mais 13 instituições financeiras. O valor, porém, ficou dentro das estimativas, que apontavam um déficit entre R$ 141,6 bilhões e R$ 111,594 bilhões.

 

O resultado de dezembro também ficou entre as expectativas, que eram de déficit entre R$ 39,7 bilhões e R$ 9,675 bilhões, mas foi maior do que a mediana, que ficou em R$ 24,365 bilhões.

Comparação com períodos anteriores

As receitas do Governo Central subiram 1,6% em 2017 em comparação a 2016, assim como as despesas, que aumentaram 2,5%. A alta real de dezembro foi de 14,5% nas receitas e a queda real das despesas foi de 8,2% em relação a dezembro de 2016.

O superávit primário das contas do governo central foi de R$ 58,049 bilhões em 2017. Já o déficit primário nas contas do Tesouro Nacional, incluindo o Banco Central, foi de R$ 11,485 bilhões.

Ao analisar apenas o Banco Central, o déficit das contas foi de R$ 761 milhões em 2017 e de R$ 40 milhões apenas em dezembro. Enquanto isso, o rombo do INSS foi de R$ 182,450 bilhões, resultado que ficou negativo em R$ 9,684 bilhões em dezembro.

 

Fonte oficial: Exame