Luiz Augusto Filizzola D’Urso defende que vídeos com conteúdo perigoso sejam classificados

0
36

Advogado chama atenção para os recentes desafios que aparecem em redes sociais, entre os quais um deles ocasionou na morte de uma menina de 7 anos

Depois de mais uma morte causada por “desafios” da internet, o advogado Luiz Augusto Filizzola D’Urso tornou a defender a classificação de vídeos com conteúdo perigoso que estejam hospedados em algum ambiente virtual.

No sábado (03/02), uma menina de 7 anos faleceu depois de inalar desodorante aerossol na cidade de São Bernardo do Campo, em São Paulo. De acordo com a família, a garota brincava do desafio do desodorante, que tinha visto nas redes sociais, quando desmaiou e teve uma parada cardíaca.

No mês de abril de 2017, em Jaú, cidade do interior de São Paulo, um adolescente de 13 anos tentou se suicidar ao cortar os braços com lâmina de barbear. A mãe do jovem entrou no notebook do filho e associou o ocorrido com o desafio da Baleia Azul.

Opinião do criminalista sobre esse tipo de caso

O advogado criminalista Luiz Augusto Filizzola D’Urso é o presidente da Comissão Nacional de Estudos dos Cibercrimes da Associação Brasileira dos Advogados Criminalistas (Abracrim). D’Urso ressalta que esse tipo de “desafio” tem se tornado cada vez mais popular, já que são reproduzidos para audiências de milhões de internautas.

Veja também a nossa ferramenta de conversão para PDF.

O advogado também alerta que caso haja comprovação de que determinado vídeo induziu ou instigou o espectador a cometer suicídio, então o responsável pela postagem poderá responder pelo crime previsto no artigo 122 do Código Penal. Se a vítima for menor de 12 anos, é possível que o responsável pela postagem responda até mesmo pelo crime de homicídio.

Fonte oficial: G1