OAB Nacional divulga nota sobre prisão arbitrária de advogado em PE

370

CFOAB divulga nota de repúdio em desfavor de prisão arbitrária de advogado em Pernambuco

Advogado preso indevidamente por policiais militares
Créditos: artisteer / iStock

O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) divulgou uma nota em repúdio a ação da Polícia Militar da cidade de Caruaru contra o advogado Sávio Delano, que foi vítima de conduta abusiva e truculenta da PM.

O caso aconteceu no final da tarde de ontem (5), durante um evento no sindicato dos vigilantes, em Caruaru-PE.

Segundo Ronnie Preuss Duarte, presidente da OAB de Pernambuco, o advogado Sávio Delano Vasconcelos Pereira recusou uma ordem de dispersão dada pela Polícia Militar. Em seguida, a PM deu voz de prisão ao advogado, que foi colocado à força dentro de um camburão.

Ainda de acordo o presidente da OAB Pernambuco, a ação policial foi de encontro às prerrogativas da categoria.

A Polícia Militar informou que o efetivo foi acionado através de denúncias de um conflito que ocorria no local. Ao chegar no Sindicato dos Vigilantes, os policiais teriam constatado uma briga de chutes e socos entre as partes envolvidas. Após resolução, um dos grupos se retirou, ficando o outro, que resolveu reabrir o processo.

O advogado teria afirmado que abriria a discussão de “qualquer jeito”. A equipe teria tentando convencer o profissional das possíveis consequências de retomar a discussão naquele momento, porém diante de uma resistência agressiva, resolveu conduzi-lo para a delegacia, onde foi lavrado um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por desacato.

O comandante da BIEsp informou que irá abrir processo interno para apurar a conduta dos policiais militares. (Com informações da OAB e Diário de Pernambuco.)

Confira na íntegra a nota divulgada pela OAB Nacional:

NOTA

O Conselho Federal da OAB vem manifestar solidariedade aos advogados pernambucanos, repudiando a conduta abusiva e truculenta de integrantes da Polícia Militar do Estado de Pernambuco que, na presente data e na cidade de Caruaru, efetuaram ilegalmente a prisão do advogado Sávio Delano, em pleno exercício da atividade profissional, por alegado crime de desacato.

No caso, ao efetuar a prisão de advogado por crime de menor potencial ofensivo e sem a presença de representante da OAB, violaram as prerrogativas contidas nos artigos 7º, inciso IV e no parágrafo 3º do Estatuto da Advocacia e da OAB (Lei 8.906/94).

Vale consignar, ainda, que o advogado foi submetido à vexatória e desnecessária condução no compartimento engradado da viatura, o que configura mais uma violência contra a respectiva dignidade profissional.

O Conselho Federal da OAB espera que o Governo do Estado de Pernambuco adote as medidas cabíveis no âmbito administrativo contra os policiais envolvidos na ocorrência, evitando que outros advogados venham ser submetidos a semelhantes violações das suas prerrogativas profissionais.

Diretoria do Conselho Federal da OAB

DEIXE UMA RESPOSTA