Dias Toffoli defende tecnologia para melhorar prestação jurisdicional

274

Para o presidente do STF e do CNJ, ministro Dias Toffoli, “se não utilizarmos as novas ferramentas tecnológicas e de inteligência artificial, e instrumentos jurídicos que sejam eficazes para atender às demandas coletivas, nós seremos atropelados pela história”.

prestação jurisdicional
Créditos: Undefined undefined | iStock

Na abertura do curso “O juiz e os desafios do processo coletivo”, promovido pela Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados (Enfam), o ministro disse que o Poder Judiciário deve adotar a tecnologia para melhorar a prestação jurisdicional.

Para ele, o Judiciário só julgava causas individuais antes Constituição de 1988. Porém, “hoje, trata de grandes demandas que envolvem uma sociedade cada vez mais complexa. Se nós não nos adaptarmos a esse mundo, não utilizarmos as novas ferramentas tecnológicas e de inteligência artificial, e instrumentos jurídicos que sejam eficazes para atender às demandas coletivas, nós seremos atropelados pela história. A sociedade cobra a prestação jurisdicional e temos que responder de forma célere e com qualidade”.

O magistrado afirmou que as escolas judiciais precisam se adequar e oferecer cursos que aproximem os magistrados da realidade brasileira, com a presença de pessoas de outros setores além do Direito, como economia, área social e cultura.

E finalizou dizendo “que o Judiciário do Século XXI tem que se basear em três alicerces para melhorarmos cada vez mais a nossa prestação jurisdicional: transparência, eficiência e responsabilidade”. (Com informações do Supremo Tribunal Federal.)

DEIXE UMA RESPOSTA