Vedado em apólice de seguro, acidente por esporte radical em Bali fica sem cobertura

245
CI – Central de Intercâmbio não indenizará turista que praticou esporte radical Créditos: Nuture / iStock Por unanimidade, o Grupo de Câmaras de Direito Civil do TJ de Santa Catarina decidiu dar provimento aos embargos infringentes opostos pela agência de viagens CI – Central de Intercâmbio Viagens Ltda. especializada em intercâmbios, que havia sido condenada a pagar uma indenização a título de danos morais e materiais à família do jovem Felipe Viana Dezordi de 22 anos. Felipe Viana Dezordi sofreu um edema cerebral por acúmulo excessivo de água no cérebro ao mergulhar na costa de Bali, na Indonésia. Foi hospitalizado e passou por diversas dificuldades, mas conseguiu sobreviver. Seus genitores exigiam que o seguro de viagem – contratado via agência de turismo – cobrisse as despesas hospitalares decorrentes do acidente ocorrido em Bali. Para viabilizar o atendimento médico na Indonésia, a família pagou US$ 51.000 (cinquenta e um mil dólares norte-americanos) a uma empresa especializada. A agência de turismo CI Central de Intercâmbio, no entanto, se negou a pagar as despesas hospitalares. Os genitores do turismo, portanto, ingressaram na Justiça com um pedido de indenização a título de danos materiais e morais sofridos pelo núcleo familiar, sob a alegação de que

Este conteúdo é restrito para usuários cadastrados do site e é GRÁTIS. Cadastre-se GRATUITAMENTE e tenha acesso já ao conteúdo. Se já for cadastrado, faça o login. Para novos usuários basta preencher o cadastro.

Login de usuários cadastrados