Norton Rose Fulbright lança o Inquérito Anual sobre Tendências em Contencioso de 2018

23
 

Pesquisa entrevistou 365 consultores corporativos.

norton
Créditos: Jirsak | iStock

A Norton Rose Fulbright, firma de advocacia global que trabalha com importantes empresas e instituições financeiras ao redor do mundo e em diversos setores da economia, divulgou a 14ª edição da Pesquisa Anual sobre Tendências em Litígios, que entrevistou 365 consultores corporativos – principalmente o conselho geral – representando organizações sediadas nos EUA em questões e preocupações relacionadas a disputas.

Os consultores jurídicos declararam uma diminuição no número de processos iniciados contra suas empresas no último ano, mas eles enfrentaram mais procedimentos regulatórios e arbitragens para lidar com o aumento do risco cibernético, proteção de dados e questões tributárias.

A pesquisa também descobriu que a natureza internacional das operações de negócios aumentou os conflitos relacionados às diferentes leis e regulamentos de proteção de dados e descoberta dos países.

Dados dos departamentos jurídicos

Mais da metade dos departamentos jurídicos pesquisados relataram que são cada vez mais forçados a equilibrar as obrigações de descoberta de uma jurisdição com as regulamentações de proteção de dados de outra.

O  chefe global de resolução de disputas e litígios da Norton Rose Fulbright,

Gerry Pecht, disse que “o relatório examina as potenciais armadilhas para as empresas internacionais em termos de equilibrar os requisitos de descoberta transfronteiriça e a regulamentação da privacidade, juntamente com questões sensíveis, como a facilitação de pagamentos. Também fornecemos dicas sobre como utilizar algumas das tecnologias legais disponíveis e gerenciar o campo de disputas. Além disso, nos baseamos na estrutura de minimização de litígios da pesquisa, com foco especial em segurança cibernética e proteção de dados”.

Destaques do relatório

  • O volume total de ações judiciais foi ligeiramente inferior, o que diminuiu os gastos com contencioso;
  • Mais de um quarto das empresas pesquisadas acreditam que o volume de disputas aumentará no próximo ano, impulsionado principalmente pela expansão, especialmente dos setores de tecnologia e ciências da vida;
  • A arbitragem é preferência dos clientes em disputas internacionais;
  • Muitas empresas estão adotando tecnologia legal, com repositórios de dados (76% das empresas), ferramentas de preservação de documentos (72%) e revisão assistida por tecnologia (54%), que também foram consideradas mais úteis;
  • A maioria dos departamentos jurídicos depende da tecnologia para lidar com processos-chave de maneira eficiente;
  • Poucos departamentos aproveitam as soluções tecnológicas para melhorar a eficácia geral do departamento, mas aqueles que implementaram essa tecnologia relatam benefícios significativos;
  • O gerenciamento de projetos habilitado por tecnologia ajuda a evitar uma série de problemas que podem desviar a atenção das principais questões judiciais;
  • Dois terços dos entrevistados de todos os setores relatam se sentir mais expostos às disputas de segurança cibernética e proteção de dados em 2018, o que demanda investimento nessa área;
  • Menos da metade das organizações tentaram incluir advogados em operações comerciais, apesar do feedback que indica ser a maneira mais eficaz de reduzir o volume de litígios;
  • Fornecer treinamento é a medida preventiva mais popular e eficaz.

(Com informações do Citizen Tribune.)