Advogada afirma ter sido agredida por policiais na Bahia

133

Advogada teria sido impedida de ler documento antes de assiná-lo.

agredida
Créditos: kynny | iStock

Uma confusão entre advogada e policiais dentro de uma delegacia no município de Lauro de Freitas/BA foi gravada no último dia 03. O desentendimento teria acontecido após a advogada ser impedida de ler documento antes de assiná-lo.

O vídeo circula nas redes sociais e a causídica acusa um policial militar e um delegado de agredi-la física e verbalmente, além de ter proferido ameaças contra ela.

A advogada Thalita Coelho disse em entrevista ao G1 que já denunciou o caso ao MP/BA.

“Foi uma situação bastante constrangedora, onde eu estava no exercício da minha profissão. Não imaginei que fosse destratada, desrespeitada, como pessoa, como ser humano, mulher e como profissional, no exercício da minha função”, disse Thalita Coelho.

Segundo OAB/BA, a advogada foi até à delegacia para acompanhar o interrogatório de um cliente que estava sendo apresentado por policiais militares. Na delegacia, familiares de outros três rapazes que o acompanhavam teriam pedido que ela os representassem também. Thalita aceitou, contudo, teria sido impedida violentamente de ler o depoimento de um dos clientes antes do documento ser assinado. O delegado teria retirado o documento da mão da advogada e depois gritado com a profissional.

O presidente da seccional, Fabrício Castro, se pronunciou dizendo que irá requerer providências às Polícias Civil e Militar e ao MP/BA em relação ao caso.

No domingo (4), Castro entrou em contato com o secretário de Segurança Pública do Estado, Maurício Barbosa, pedindo providências a respeito do ocorrido. “O que ocorreu é um absurdo. Não é possível que uma advogada no exercício da profissão tenha negado o direito de ler uma ata”, disse o presidente da OAB/BA. (Com informações do Migalhas.)

Veja o vídeo.

https://youtu.be/pR9Z2lqrcFI

DEIXE UMA RESPOSTA