Dentistas indenizarão paciente por negligência em implante

54

Procedimento foi feito como permuta pelos trabalhos de uma massoterapeuta

Dentistas indenizarão paciente por negligência em implante 1
Créditos: Ponsulak | iStock

A 11ª Vara Cível de Campo Grande condenou dois cirurgiões dentistas ao pagamento de R$ 20 mil, por danos morais, e R$ 670,00 de danos materiais, decorrente de negligência no tratamento odontológico ofertado à paciente.

A autora, massoterapeuta, prestava seus serviços à esposa de um cirurgião dentista. Eles combinaram uma permuta entre os serviços de massoterapia e de implante dentário. A autora adiantou R$ 1 mil em serviços.

Em 2008, alega que o tratamento deveria ter sido iniciado, mas ela compareceu várias vezes ao consultório do réu, que apenas a avaliava, sem iniciar o implante. Após uma radiografia, o cirurgião identificou a necessidade de extração de dois dentes, o que foi feito. O valor foi idêntico ao do serviço adiantado pela massoterapeuta.

Saiba mais:

Em 2009, o outro cirurgião, filho do primeiro dentista, iniciou o tratamento de implante na autora, e seu pai deu continuidade ao tratamento. Porém, após um mês, o pino caiu, e a autora precisou aguardar 4 meses para cicatrização e nova tentativa. O implante posterior não obteve êxito e precisou ser removido três meses depois. Ela efetivou outro implante após seis meses e precisou retirá-lo uma semana depois, necessitando de medicação intensa em virtude da dor sofrida.

A autora permaneceu com um pino instalado, decorrente do trauma que a afastava de outros dentistas. Por isso, entrou com a ação contra os dois cirurgiões, decorrente de negligência no tratamento, que lhe causou intenso sofrimento físico e psicológico à sua saúde.

O juiz destacou a responsabilidade dos réus pela falha no tratamento odontológico realizado na paciente, salientando a obrigação de entregar à autora os implantes dentários sem qualquer intercorrência. Por fim, pontuou que “não há dúvidas acerca da incorreção do tratamento adotado pelos réus, pois foi provado no laudo pericial a conduta negligente e imprudente dos requeridos, tornando inafastável sua responsabilidade pelos danos sofridos pela autora”.

Notícia produzida com informações da Assessoria de Imprensa do Tribunal de Justiça do Mato Grosso do Sul.

DEIXE UMA RESPOSTA