Empresário investigado pela Operação Lava-Jato tem condenação mantida pelo STF

120
Empresário investigado pela Operação Lava-Jato tem condenação mantida pelo STF
Créditos: Michał Chodyra | iStock

O Recurso Ordinário em Habeas Corpus 173224, impetrado pela defesa do empresário Márcio Andrade Bonilho, condenado a 14 anos por lavagem de dinheiro e organização criminosa no âmbito da Operação Lava-Jato, foi rejeitado pelo ministro Edson Fachin, do STF.

Nos autos, há provas de que o empresário recebeu valores provenientes de desvios de verbas públicas destinadas à construção da Refinaria Abreu e Lima (Ipojuca – PE) e lavou dinheiro mediante superfaturamento da obra entre 2009 e 2014. 

No RHC, a defesa questionou a negativa do agravo em HC pelo STJ, mas Edson Fachin entendeu não haver ilegalidade no ato do STJ, o que impede o exame da matéria não analisada nas instâncias inferiores e de analisar fatos e provas em HC.

O relator ainda rebateu a tese da defesa sobre atipicidade da conduta no crime de organização criminosa. Ela teria alegado irretroatividade da lei penal mais gravosa. 

decisão
Créditos: Diegograndi | iStock

Para o ministro, as instâncias inferiores seguiram a Súmula 711 do STF (“a lei penal mais grave aplica-se ao crime continuado ou ao crime permanente, se a sua vigência é anterior à cessação da continuidade ou da permanência”) e, “mesmo que os fatos dos autos sejam anteriores à vigência da Lei 12.850/2013, que define a organização criminosa, a consumação do delito é contemporânea à norma”.

Acerca da inocorrência do crime de lavagem de capitais, o relator ressaltou que as condutas dolosas e conscientes do empresário nos crimes cometidos foram comprovadas, o que reforça a autonomia do crime de lavagem de capitais em face dos delitos antecedentes.

Processo relacionado: RHC 173224

(Com informações do Supremo Tribunal Federal)

Leia também

 

Saiba mais sobre Certificação Digital no Portal Juristas. Adquira seu certificado digital E-CPF ou E-CNPJ com a Juristas Certificação Digital. Entre em contato através de email ou pelo WhatsApp (83) 9 93826000

DEIXE UMA RESPOSTA