Vai.Car, startup que aluga carros para jovens faz Uber e 99 acelerar no Brasil.

801

A Vai.Car é uma startup que aluga carros para jovens e para motoristas de apps de mobilidade urbana. Ela foi criada nos Estados Unidos, mas percebeu a oportunidade de alugar carros para motoristas de aplicativos no Brasil.

Diante da união de 12,6 milhões de pessoas buscando trabalho, além da busca de melhor mobilidade urbana, a Vai.Car criou oportunidade de negócio no Brasil. A oportunidade surgiu quando se viu que a maioria dos sócios eram brasileiros. Na grande São Paulo, a Vai.Car já mediou a locação de 40 mil carros em quase dois anos de negócio.

A ideia de negócio em um Uber

Enquanto fazia uma corrida por meio do aplicativo da Uber, João Paulo Galvão, psicólogo de formação e empreendedor em logística e marketing, teve a ideia de negócio da Vai.Car nos Estados Unidos.

Galvão perguntou porque mais motoristas não atuavam na modalidade de luxo, descobriu que a falta de reputação de crédito (ou score) dificultava a aquisição de um automóvel adequado. A startup Vai.Car nasceu na Flórida em janeiro de 2016, e começou seu investimento com 130 mil dólares do fundo brasileiro Bossa Nova Investimentos.

Com seus sócios, os administradores Hélio Netto, Fernando Fiuza e Apoorv Gupta, perceberam uma maior oportunidade no Brasil. A Vai.Car, chegou no Brasil em dezembro de 2017.

No Brasil, quem assumiu a operação nacional foi Netto, diretor executivo da locadora Hertz (vendida para a Localiza) por 17 anos. “Via as mudanças no mercado de mobilidade, mas locadoras ainda muito tradicionais. Vi na Vai.Car uma oportunidade de adaptar uma inovação ao mercado brasileiro”, diz. “Focamos aqui por vermos um problema maior e uma resposta mais positiva à ideia de negócio. Com três sócios brasileiros, sabíamos do tanto de desempregados no país e o potencial de trazê-los ao mercado de trabalho”. Apenas Gupster é canadense e indiano.

O público-alvo que a Vai.Car possui são dois: os millenials, que cada vez repensam a compra de um automóvel e favorecem o modelo “pague por uso”; e os motoristas de aplicativos como 99, Cabify e Uber, que veem no aluguel uma opção com menor investimento inicial para viabilizar sua renda extra.

Superar sua inexistência em lojas físicas e a falta de cartão de crédito de muitos motoristas foram os primeiros desafios da startup. Diante disso, a Vai.Car apostou em um processo totalmente móvel, com os carros sendo entregues na casa do cliente, e um análise própria de risco de crédito para conceder formas de pagamento como boleto bancário e lotéricas.

“Quem tem problema de crédito não é necessariamente um bandido, pode simplesmente estar desempregado e quer usar o carro como ferramenta de trabalho. Nossa tecnologia de score própria vai na linha do cadastro positivo”, diz Netto. A Vai.Car também faz uso de inovações como reconhecimento facialPara evitar fraudes documentais, para evitar fraudes documentais. O algoritmo usado no cadastro cruza mais de 200 informações antes de aprovar ou negar usuários. 

 

Fonte: Exame

DEIXE UMA RESPOSTA