STJ vai definir se trabalhador da ativa com doença grave faz jus à isenção do IR

172

Foi afetado, pela Primeira Seção do Superior Tribunal Federal,  dois recursos especiais para definir, sob o rito dos recursos repetitivos, a “incidência ou não da isenção do Imposto de Renda prevista no inciso XIV do artigo 6º da Lei 7.713/1998 sobre os rendimentos de portador de moléstia grave que se encontra no exercício de sua atividade laboral”.

A norma estabelece a concessão do benefício fiscal aos proventos de aposentadoria ou reforma motivada por acidente em serviço e aos percebidos pelos portadores de moléstia profissional ou uma série de doenças graves, ainda que contraídas após a inatividade.

A relator da controvérsia é o ministro Og Fernandes, em que foi cadastrada com Tema 1.037. Segundo ele, a discussão vai definir se quem pode receber o benefício é apenas o aposentado, ou também quem esteja em atividade.

Em todo território nacional, o  colegiado determinou a suspensão da tramitação, dos processos individuais ou coletivos que versem sobre o assunto, até o julgamento dos recursos e a definição da tese.

 

Esta notícia refere-se ao(s) processo(s):

REsp 1814919

REsp 1836091

 

Fonte: STJ

DEIXE UMA RESPOSTA