Como manter a saúde mental atuando como advogado?

5
Burnout
Legenda: Advogados sofrem com doenças mentais em silêncio / Autor: Hunters Race / Fonte: Unsplash

Ser advogado é sinônimo de ter uma vida profissional corrida, lidar com pressão de clientes e se envolver na busca de solução de problemas. O advogado é aquele que está sempre olhando para o outro, mas será que tem sobrado tempo para cuidar de si? Todos esses fatores podem desencadear uma série de doenças emocionais.

Ansiedade, estresse, depressão e até mesmo a síndrome do esgotamento profissional, também conhecida como burnout, são os problemas mais comuns entre os advogados. Quatro doenças mentais que podem acarretar uma série de transtornos físicos. Aprenda a identificar e evitar esses problemas.

Ansiedade

Se você anda preocupado ou nervoso com frequência, pode ser a ansiedade dando sinais. Sintomas como tremor, dificuldade de se concentrar, necessidade de roer as unhas, tensão muscular, enxaqueca, irritabilidade e insônia são consequências comuns. Não é preciso apresentar todos eles, mas observe a frequência com que alguns estejam surgindo no seu dia a dia, talvez seja hora de desacelerar e buscar ajuda profissional. Além disso, meditação, exercício físico, redução da cafeína e dormir um pouco mais cedo são práticas simples que podem auxiliar a reduzir a ansiedade.

Estresse

Ansiedade e estresse andam de mãos dadas. Os sintomas também são bastante parecidos. O estresse ainda pode acelerar os batimentos cardíacos, provocar queda de cabelo, alterar o apetite, causar suor excessivo e apresentar problemas digestivos. As práticas para a ansiedade já atuam no combate ao estresse, mas você ainda pode tentar viver mais momentos de prazer com amigos e familiares, desligando o cérebro do vínculo com o trabalho.

Nessa etapa a ajuda profissional pode prevenir o agravamento dos sentimentos. Na sua prática como advogado, tente delegar funções e não absorver os problemas de terceiros para você, para esse processo a terapia pode ser uma alternativa.

Ainda, entre os profissionais especializados para auxiliar nesse problema, um nutricionista pode compor a lista. De acordo com artigos publicados no site oficial da Sundt, marca de suplementos, a falta de alguns nutrientes pode desencadear até mesmo depressão. O nutricionista pode pedir exames e traçar uma dieta balanceada se perceber deficiência de nutrientes essenciais como zinco, magnésio, vitaminas C, E e do complexo B. Suplementar também é uma opção nesses casos, mas sempre com orientação profissional.

Depressão

A depressão começa silenciosa, geralmente passa pela ansiedade e estresse até que outros sintomas surjam. Se a tristeza está em evidência, com certeza é hora de buscar ajuda médica.  Existem diversos sintomas físicos e emocionais, mas atente-se para a irritabilidade constante, ganho ou perda de peso, negatividade e culpa também estão associados. Casos de depressão, muitas vezes, precisam ser tratados com medicamentos, por isso é essencial procurar um profissional especializado.

Burnout

Já o burnout é uma depressão totalmente relacionada ao ambiente de trabalho. Se você se sente esgotado e percebeu que sua produtividade e eficácia reduziram, pode ser que você faça parte dos 30% entre 100 milhões trabalhadores que sofrem com a síndrome. É um problema comum em pessoas que possuem elevado nível de responsabilidade, incluindo os advogados. Assim como a depressão, o burnout exige consulta médica, pode ser necessário tratamento com medicamento e até mesmo afastamento do trabalho.

Se essas doenças são um tabu na área da advocacia, é preciso trazer os assuntos para discussão. Profissionais adoecidos, como advogados, promotores e juízes podem trazer problemas sérios e irreversíveis para a sociedade.

 

DEIXE UMA RESPOSTA