Homem que esfaqueou colega de quarto é condenado a 18 anos de prisão

Jurisprudências do TJSC
Créditos: WIRUL KENGTHANKAN / iStock

Um morador de rua foi condenado pela Vara Criminal e do Tribunal do Júri de Águas Claras a 18 anos e oito meses de reclusão, em regime inicial fechado, pelo crime de homicídio qualificado. O crime foi cometido por Samuel Lima de Souza que esfaqueou um colega de quarto, num albergue da região administrativa.

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios – MPDFT apresentou sentença de pronúncia pela condenação do acusado. O réu solicitou o reconhecimento da tese de negativa de autoria. O Conselho de Sentença acolheu o pedido formulado pelo MPDFT.

Ao estabelecer a pena, o juiz presidente pontuou que “os fatos se deram no período noturno, não sendo esse o motivo ensejador da qualificadora do recurso que dificultou a defesa da vítima, mas sim, o fato de que, no momento das agressões essa se encontrava dormindo. Assim, em que pese à questão temporal esteja descrita no quesito, mostra-se evidente que o fato determinante a impossibilitar a defesa da vítima foi à circunstância de o acusado se valer do fato de a vítima estar dormindo”.

Além disso, o magistrado destacou outro ponto que autoriza a valoração da pena, o fato de o acusado ter saído do albergue, momentos antes do crime, como artifício para negar autoria do crime, uma vez que sabia que não era permitido retornar para o interior do estabelecimento naquele horário. No entanto, ainda segundo o julgador, restou verificado por meio de prova testemunhal que, ao sair do albergue, o réu armou-se, retornou e pulou o muro do prédio, com a finalidade de buscar a impunidade.

O réu deverá cumprir a pena, inicialmente, em regime fechado e não poderá recorrer em liberdade, uma vez que tem condenação penal, bem como fora considerado foragido do distrito, onde foi cometido o crime.

Com informações do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios – TJDFT

DEIXE UMA RESPOSTA