Acusado de assédio, Wassef se diz vítima de fake news

Homofobia e assédio moral levam Via Varejo a pagar R$ 40 mil a ex-empregado
Créditos: Zolnierek / Shutterstock.com

Na tarde de último sábado (21), o advogado da família Bolsonaro, Frederick Wassef, se envolveu em confusão no restaurante Chicago da QI 11, Lago Sul, na capital Brasília. Wassef foi acusado de assédio contra uma mulher casada e foi perseguido pelo marido, armado com uma faca.

A Polícia Militar atendeu a ocorrência no momento e os dois foram parar na 10ª DP, localizada na no Lago Sul de Brasília, o homem foi solto na manhã de hoje após audiência de custódia. O juiz avaliou que a prisão em flagrante foi legal. Na ocasião, o próprio Ministério Público pediu a liberação do homem, concedida pelo juiz como liberdade provisória

Em áudio enviado ao UOL, Wassef diz ser vítima de uma “mentira”. “É uma fraude, uma mentira. [Trata-se de] uma senhora de mais 60 anos de idade, aparentando ter 65. Não me aproximei em nenhum momento, nunca a vi, não falei um ‘a’. Nada. Na verdade, é uma mentira que ela gerou, e estou sendo vítima novamente, uma vez mais, de campanha de fake news”, disse ele.

Testemunhas gravaram momentos da confusão envolvendo o advogado. Em um dos vídeos, o suposto agressor aparece empunhando uma faca de mesa. “Safado, sem vergonha. Atacando mulher no banheiro”, grita o homem.

Com informações do IG e Metropoles.


Fique por dentro de tudo que acontece no mundo jurídico no Portal Juristas, siga nas redes sociais: FacebookTwitterInstagram e Linkedin. Participe de nossos grupos no Telegram e WhatsApp. Adquira sua certificação digital e-CPF e e-CNPJ na com a Juristas Certificação Digital, entre em contato conosco por email ou pelo WhatsApp (83) 9 93826000

DEIXE UMA RESPOSTA