Homem é condenado a 5 anos de prisão por posse de notas falsas de R$ 200

Pagamento em espécie - dinheiro
Créditos: Rmcarvalho / iStock

A juíza federal Raecler Baldresca, da 3a Vara Criminal Federal de São Paulo/SP condenou, na ultima segunda-feira (4), um homem acusado de portar notas falsas de R$ 200. A pena determinada foi de 5 anos de reclusão (regime inicial fechado), bem como o pagamento de 87 dias-multa (sendo cada dia-multa no valor de 1/30 do salário mínimo).

De acordo com o processo (5004271-91.2021.4.03.6181), no dia 4 de junho, dois homens pagaram com dinheiro falso em um estabelecimento comercial de Moema, São Paulo, capital. Ao deixarem o local, os funcionários do estabelecimento que suspeitaram da falsidade do dinheiro perseguiram os homens, conseguindo conter um deles até a chegada dos policiais, enquanto o outro acabou foragindo.

Aumento salarialAo fazerem a revista no indivíduo, os agentes encontraram R$ 128,60, bem como dezessete cédulas de R$ 200 aparentemente falsas, dentro de uma pochete presa ao corpo. Aos policiais, o acusado afirmou que adquiriu as cédulas falsas no centro de São Paulo, mediante pagamento de R$ 100,00, após visualizar anúncio na rede social Facebook.

Um auto de prisão em flagrante foi encaminhado ao juízo plantonista da Justiça Estadual, ocasião em que foi homologado, decretando-se a prisão preventiva do acusado. Posteriormente, o processo foi remetido à Justiça Federal, uma vez que compete a este órgão a análise do crime cometido (moeda falsa). Por não constar nos autos quaisquer informações acerca de residência fixa, ocupação lícita ou outros elementos que assegurassem ao Juízo se a liberdade do investigado não representaria óbice à apuração dos fatos, a prisão preventiva foi mantida.

Homem é condenado a 5 anos de prisão por posse de notas falsas de R$ 200 | Juristas
Créditos: Larimage/Shutterstock.com

Em sua defesa, o réu confessou que carregava consigo cédulas falsas com valor de face de R$ 200,00 e que pretendia introduzi-las em circulação. Negou, todavia, que houvesse apresentado no estabelecimento ou que tivesse esperado algum comparsa fazê-lo. Disse que cerca de vinte dias antes de sua prisão em flagrante comprou as cédulas no centro de São Paulo, próximo à Praça da Sé, pagando R$ 50,00 por todas elas.

Para Raecler Baldresca, tanto a autoria do crime como a materialidade ficaram comprovadas no processo. “O depoimento do acusado é frágil e inconsistente […]. Importante destacar que, além do fato de o acusado ter sido encontrado pouco após o crime, próximo ao local dos fatos, com cervejas, copos e uma sacola identificada da lanchonete, a policial militar que atuou na ocorrência afirmou que o acusado admitira que estava do lado de fora dando suporte a um amigo, que fora ao local para pôr em circulação a cédula falsa”.

Por fim, a juíza julgou procedente a ação condenando o réu à pena privativa de liberdade de 5 anos de reclusão, bem como ao pagamento à multa, pela prática do crime previsto no artigo 289, parágrafo 1º, do Código Penal.

Com informações do Tribunal Regional Federal da 3ª Região.


Fique por dentro de tudo que acontece no mundo jurídico no Portal Juristas, siga nas redes sociais: FacebookTwitterInstagram e Linkedin. Participe de nossos grupos no Telegram e WhatsApp. Adquira sua certificação digital e-CPF e e-CNPJ na com a Juristas Certificação Digital, entre em contato conosco por email ou pelo WhatsApp (83) 9 93826000

DEIXE UMA RESPOSTA