Meta é denunciada na Austrália por anúncios enganosos de criptomoedas

Meta é denunciada na Austrália por anúncios enganosos de criptomoedas | Juristas
Créditos: hanibaram / iStock

A Meta, empresa proprietária do Facebook e Instagram está sendo processada pela Austrália por "conduta enganosa", ao veicular anúncios enganosos sobre criptomoedas que pareciam falsamente aprovadas por personalidades, violando as leis do consumidor ou de segurança do país.

A comissão de proteção ao consumidor do país informou que iniciou procedimentos na Corte Federal contra as plataformas da Meta. O organismo acusa a empresa não fazer o suficiente para impedir os anúncios enganosos de criptomoedas ou programas de investimento, mesmo depois de ser alertada por celebridades de suas imagens estavam sendo usadas de maneira inadequada.

Bitcoin é um tipo de criptomoeda (moeda digital/virtual)
Créditos: pinglabel / iStock

Em comunicado, a Meta afirmou que tentou impedir os anúncios usando tecnologia que detecta e bloqueia tais mensagens. "Não queremos anúncios que tentam enganar ou confundir as pessoas no Facebook. Violam nossa política e não são bons para nossa comunidade", disse um porta-voz do grupo, que expressou disposição de cooperar com a investigação.

criptomoeda
Créditos: jbk_photography | iStock

Conforme a comissão, australianos famosos, ex-políticos ou empresários, que nunca haviam aprovado ou apoiado os produtos apareciam nos anúncios. Segundo o presidente da comissão, Rod Sims, "Além de resultar em perdas imensuráveis para os consumidores, os anúncios também prejudicaram a reputação de figuras públicas falsamente associadas a eles". A comissão apontou o caso de um consumidor que teria perdido mais de 480.000 dólares em um dos golpes promovidos como uma oportunidade de investimento no Facebook.

Meta é denunciada na Austrália por anúncios enganosos de criptomoedas | Juristas
Créditos: AnatolyM / iStock

"A Meta falhou em adotar medidas suficientes para conter anúncios falsos com figuras públicas, mesmo depois que estas figuras públicas informaram a Meta que seu nome e imagem eram usados para apoiar anúncios fraudulentos de criptomoedas, insistiu Sims.

Com informações do UOL.


Fique por dentro de tudo que acontece no mundo jurídico no Portal Juristas, siga nas redes sociais: FacebookTwitterInstagram e Linkedin. Participe de nossos grupos no Telegram e WhatsApp. Adquira sua certificação digital e-CPF e e-CNPJ na com a Juristas Certificação Digital, entre em contato conosco por e-mail ou pelo WhatsApp (83) 9 93826000

DEIXE UMA RESPOSTA