Promotoria dos EUA pede 30 anos de prisão para 'socialite' acusada de ajudar pedófilo a abusar de menores

Mantida prisão preventiva de Geddel Vieira Lima / Pena
Créditos: chaiyapruek2520 | iStock

A promotoria dos Estados Unidos (EUA) pediu pelo menos 30 anos de prisão para a "socialite" Ghislaine Maxwell (60), acusada de ajudar o falecido pedófilo Jeffrey Epstein a abusar sexualmente de menores. Em dezembro, ela foi declarada culpada de tráfico sexual de menores para o então financista. Sua sentença está prevista para terça-feira.

Seus advogados pediram clemência ao tribunal, alegando uma infância traumática. Acrescentaram que ela foi acusada injustamente, uma vez que Epstein escapou do julgamento ao cometer suicídio em uma prisão de Nova York em 2019. No entanto, a promotoria argumenta no documento apresentado na quarta-feira (22) ao tribunal de Nova York, que Maxwell deve ser sentenciada entre 30 e 55 anos de prisão.

De acordo com o promotor do tribunal de Manhattan, Damian Williams, ela demonstrou "total falta de remorso" por seus crimes. "Em vez de mostrar um sinal de responsabilidade, a acusada faz uma tentativa desesperada de transferir a culpa para qualquer outro lugar", apontou.

Maxwell é filha do ex-magnata da mídia britânica Robert Maxwell e está presa desde 2020. Durante o julgamento, a promotoria argumentou que Maxwell foi "chave" no esquema montado por Epstein para recrutar jovens para fazer massagens, durante as quais ele abusava delas. A "socialite" foi considerada culpada de cinco das seis acusações, o que pode levá-la a passar o resto de seus dias na cadeia.

Com informações do UOL.


Fique por dentro de tudo que acontece no mundo jurídico no Portal Juristas, siga nas redes sociais: FacebookTwitterInstagram e Linkedin. Adquira seu registro digital e-CPF e e-CNPJ na com a Juristas Certificação Digital, entre em contato conosco por e-mail ou pelo WhatsApp (83) 9 93826000.

DEIXE UMA RESPOSTA