Justiça carioca decreta prisão preventiva do modelo e influencer Bruno Krupp

Prisão preventiva
Créditos: The Crimson Ribbon | iStock

A juíza Maria Izabel Pena Pieranti, do plantão judiciário do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ), decretou nesta quarta-feira (3) a prisão preventiva do modelo e influencer Bruno Krupp. Acusado pelo atropelamento que matou o estudante João Gabriel Cardin Guimarães, de 16 anos, no último sábado (30), na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, Krupp foi preso na manhã de hoje.

Bruno, que no sábado pilotava uma moto em alta velocidade, três dias antes do acidente, foi parado em uma blitz da Lei Seca e multado por falta de habilitação. Ele pilotava uma Yamaha cinza, que estava sem placa.

O modelo e influencer foi encontrado hoje em um hospital no Méier, na Zona Norte do Rio, apesar de ter recebido alta do hospital Lourenço Jorge ainda no domingo (31).

Justiça carioca decreta prisão preventiva do modelo e influencer Bruno Krupp | Juristas
Depositphotos_217585148_S INFLUENCER

Na decisão, a magistrada que analisa o processo (0210703-32.2022.8.19.0001) ressaltou que a medida se faz necessária para conveniência da instrução criminal e para a garantia de eventual e futura aplicação da lei penal.

"Tenho que a liberdade do indiciado compromete sobremaneira a ordem pública, sendo a sua constrição imprescindível para evitar o cometimento de crimes de idêntica natureza, podendo-se dizer que a medida ora decretada visa, também, resguardar a sociedade de condutas outras análogas que o representado possa vir a praticar".

Justiça carioca decreta prisão preventiva do modelo e influencer Bruno Krupp | Juristas
My great loudspeakers. Nice cheerful professional well-built blogger holding loudspeakers and smiling while making a video

A magistrada destacou a conduta de Bruno que já havia sido pego em uma blitz, "A situação por ele vivida três dias antes, ao ser parado em uma blitz, não foi suficiente para alertar-lhe dos riscos de direção perigosa e em contrariedade ao que dispõe a lei e o bom-senso. Em outras palavras: não foi o bastante que tivesse sido parado pelos agentes da Lei Seca. Ser pego na situação já descrita não teve qualquer efeito didático. Ao contrário, adotou conduta mais ainda letal, acabando por tirar a vida de um jovem que estava acompanhado de sua mãe", escreveu a juíza.

Com informações do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ).


Fique por dentro de tudo que acontece no mundo jurídico no Portal Juristas, siga nas redes sociais: FacebookTwitterInstagram e Linkedin. Adquira seu registro digital e-CPF e e-CNPJ na com a Juristas Certificação Digital, entre em contato conosco por e-mail ou pelo WhatsApp (83) 9 93826000.

DEIXE UMA RESPOSTA