Audiência pública do STJ debaterá uso medicinal da Cannabis

Data:

Cannabis
Créditos: boonchai-wedmakawand / iStock

No próximo dia 25 de abril, a partir das 10h, uma audiência pública será realizada para discutir a concessão de autorização sanitária para a importação e cultivo da Cannabis sativa, visando seu uso exclusivamente medicinal, farmacêutico ou industrial.

A convocação para a audiência foi feita pela ministra Regina Helena Costa, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que é a relatora do Incidente de Assunção de Competência (IAC 16) em tramitação na Primeira Seção. Segundo a ministra, trata-se de uma questão de grande relevância, considerando os debates que têm ocorrido nos diversos setores da sociedade, na academia e nas instituições.

A ministra destacou que a audiência pública proporcionará subsídios técnicos, jurídicos e científicos para embasar as conclusões do STJ, permitindo a participação dos cidadãos na decisão da corte.

Como Participar

As inscrições para pessoas físicas ou jurídicas, entidades e órgãos públicos estão abertas até o dia 11 de março. Os interessados em participar da audiência devem enviar um requerimento para o e-mail [email protected], contendo a posição jurídica a ser defendida, a relevância da participação, o currículo do expositor, bem como o material didático e os recursos de multimídia a serem utilizados.

A participação preferencialmente será presencial, sendo que pedidos de contribuição por videoconferência serão analisados e decididos caso a caso, desde que devidamente justificados.

Com informações do Superior Tribunal de Justiça (STJ).


Você sabia que o Portal Juristas está no FacebookTwitterInstagramTelegramWhatsAppGoogle News e Linkedin? Siga-nos!

Ricardo Krusty
Ricardo Krusty
Comunicador social com formação em jornalismo e radialismo, pós-graduado em cinema pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Deixe um comentário

Compartilhe

Inscreva-se

Últimas

Recentes
Veja Mais

TJSP invalida venda de empresa por inclusão de crédito do qual não é titular

A 1ª Câmara Reservada de Direito Empresarial do Tribunal de Justiça de São Paulo, em julgamento estendido, declarou a invalidade da venda de uma empresa que incluía no preço final valores de precatórios dos quais não era titular, caracterizando uma operação de crédito a non domino.

Mantida multa de empresa que vendia produtos fora do prazo de validade

A 13ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) confirmou a decisão da Vara de Viradouro, proferida pela juíza Débora Cristina Fernandes Ananias Alves Ferreira, que negou o pedido de anulação de uma multa aplicada pelo Procon a um estabelecimento comercial. O local foi multado em R$ 20,6 mil por vender produtos fora do prazo de validade.

Plano de saúde custeará exame genético para tratamento de síndrome

A 9ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) manteve a decisão da 10ª Vara Cível de Campinas, proferida pelo juiz André Pereira de Souza, que determinou que uma operadora de plano de saúde deve autorizar e custear a avaliação genética com pesquisa etiológica para um beneficiário portador da Síndrome de West.

Mantida condenação de mulher por estelionato

A 8ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo manteve a decisão da 21ª Vara Criminal da Capital, proferida pela juíza Luciane Jabur Mouchaloite Figueiredo, que condenou uma mulher por estelionato. A pena foi fixada em dois anos e seis meses de reclusão em regime semiaberto.