Carteira do Autista Digital pode ser emitida pelo Gov.pi Cidadão

Data:

Criança autista impedida de entrar em sala por falta de máscara será indenizada
Créditos: VadimVasenin / Depositphotos

A Secretaria para Inclusão da Pessoa com Deficiência do estado do Piauí (Seid) anunciou que a Carteira de Identificação do Autista agora pode ser emitida de forma digital por meio da plataforma Gov.pi Cidadão, oferecendo maior comodidade aos usuários.

A coordenadora da Carteira do Autista, Lidiane Marques, ressaltou que as solicitações já estão em andamento na plataforma, permitindo que os residentes em municípios do interior também tenham acesso ao serviço de forma mais rápida e eficiente. “Todos os documentos devem ser digitalizados e anexados no site ou no aplicativo, para que possamos analisar os processos com mais facilidade, possibilitando um retorno mais rápido para a população”, declara.

alunos autistas
Créditos: Nambitomo | iStock

Essa iniciativa faz parte do projeto de digitalização do estado do Piauí, que visa disponibilizar uma ampla gama de serviços digitais aos cidadãos, facilitando o acesso e agilizando os processos. Atualmente, são 53 serviços digitais disponíveis, com a meta de atingir 100 serviços até o final de 2023. Os interessados podem acessar a plataforma por meio do site ou baixar o aplicativo Gov.pi Cidadão nas lojas de aplicativos Google Play ou Apple Store.

A Carteira de Identificação do Autista é uma importante ferramenta que garante atendimento prioritário nos serviços públicos e privados, especialmente nas áreas de saúde, educação e assistência social, e contribui para a inclusão social das pessoas diagnosticadas com Transtorno do Espectro Autista (TEA).

Para solicitar a Carteira do Autista Digital, os passos são os seguintes:
1. Baixe o aplicativo Gov.pi Cidadão ou acesse o site: pidigital.pi.gov.br.
2. Faça o login com os dados da pessoa autista através do ID Piauí ou gov.br.
3. Clique em "Serviços" na parte inferior da tela.
4. Selecione o órgão "SEID-PI" e clique em "Solicitar Carteira de Identificação do Autista".
5. Clique em "Acessar o serviço digital".
6. Complete corretamente os dados do beneficiário na primeira etapa e clique em "Próximo".
7. Preencha corretamente os dados de endereço na segunda etapa e clique em "Próximo".
8. Na terceira etapa, anexe os documentos escaneados em formato PDF, incluindo o laudo médico, RG ou Certidão de Nascimento, CPF, foto digital, RG do Responsável Legal (se aplicável), e comprovante de residência atualizado (o usuário deve residir obrigatoriamente no Estado do Piauí).
9. Conclua a operação e aguarde a análise do seu processo, que ocorrerá em até 30 dias.

É importante garantir que os documentos anexados estejam legíveis e em conformidade com as informações fornecidas no sistema.

Com informações do Cidade Verde.com.


Você sabia que o Portal Juristas está no FacebookTwitterInstagramTelegramWhatsAppGoogle News e Linkedin? Siga-nos!

Ricardo Krusty
Ricardo Krusty
Comunicador social com formação em jornalismo e radialismo, pós-graduado em cinema pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Deixe um comentário

Compartilhe

Inscreva-se

Últimas

Recentes
Veja Mais

Idoso com deficiência tem direito a desconto na passagem de acompanhante

Uma decisão judicial da 3ª Vara Cível da comarca de Lages destaca a violação de direitos e condena uma companhia aérea e um site de viagens a pagar indenização por danos materiais e morais.

TJSP mantém condenação de tutor de pitbull que atacou prestador de serviços

A 6ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) decidiu manter a sentença da 5ª Vara Cível de Ribeirão Preto, proferida pela juíza Roberta Luchiari Villela, que condenou o tutor de um pitbull que atacou um prestador de serviços a indenizar a vítima. A reparação por danos materiais foi mantida em R$ 7 mil, e o ressarcimento por danos morais foi elevado para R$ 6 mil.

Contrato preliminar não pode ter eficácia maior que o definitivo, define terceira turma do STJ

Para a Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), não é admissível conferir maior eficácia jurídica ao contrato preliminar do que ao definitivo, especialmente quando as partes, neste último, estabelecem obrigações opostas às assumidas anteriormente e contradizem os termos da proposta original.

Repetitivo discute honorários advocatícios em cumprimento de sentença decorrente de mandado de segurança individual

A Primeira Seção do Superior Tribunal de Justiça (STJ), utilizando o rito dos recursos repetitivos (Tema 1.232), está prestes a definir se é viável a fixação de honorários advocatícios na fase de cumprimento de sentença resultante de decisão proferida em mandado de segurança individual, com reflexos patrimoniais.