Corinthians deve indenizar família de Tim Maia por uso de música

Data:

corintianos condenados
Créditos: Alfribeiro | iStock

A Justiça em São Paulo emitiu uma sentença condenando o Corinthians a pagar uma compensação aos herdeiros do cantor Tim Maia (1942-1998) pela utilização de uma versão da música "Não Quero Dinheiro, Eu Só Quero Amar" em anúncios durante o campeonato mundial de clubes de 2012, no qual o time saiu vitorioso.

O montante da indenização continua por ser determinado. A família e a gravadora Warner Chappel, que possui os direitos da canção, estão buscando o valor de R$ 4 milhões.

A adaptação da música foi criada por torcedores do clube e contém os versos:

"A semana inteira, fiquei esperando
Pra te ver Corinthians, Pra te ver jogando
Quando a gente ama
Não mede esforço
Pra te ver jogar! Te ver jogar, te ver jogar!"

Jogo de Futebol - Copa do Mundo
Créditos: PhonlamaiPhoto / iStock

Segundo a ação movida pelos herdeiros, o Corinthians utilizou a obra em uma campanha publicitária para promover a sua marca e seus patrocinadores durante o Mundial de Clubes, sem obter autorização prévia. Os anúncios teriam sido veiculados na televisão, streaming e mídias sociais.

No processo em questão, os herdeiros e a gravadora destacam que uma das linhas da letra da música chegou a ser estampada em camisetas utilizadas pelos jogadores. Eles argumentam que, sem a contribuição de Tim Maia, a essência da publicidade se perde, o que evidenciaria o ganho financeiro adquirido pelo clube.

Na contestação apresentada ao sistema judiciário, o Corinthians declarou que a versão foi criada pela torcida e que o vídeo foi produzido pela Rede Globo.

O clube ainda alegou que a reprodução foi uma "mera paráfrase" (interpretação de um texto com palavras próprias). Conforme a perspectiva do time, a legislação de direitos autorais estipula que uma paráfrase não requer autorização.

No entanto, o Tribunal de Justiça de São Paulo não acolheu essa argumentação.

Na decisão proferida em 27 de julho, a desembargadora Maria do Carmo Honório, responsável pelo caso, destacou que a legislação de direitos autorais permite a reprodução de pequenos trechos.

"É certo que o trecho 'a semana inteira fiquei esperando, para te ver Corinthians, pra te ver jogando (...)´não constitui mera paráfrase da letra original. Isso porque, além de reproduzir na íntegra o trecho 'a semana inteira, fiquei esperando', manteve a melodia da música amplamente conhecida", afirmou.

Com informações de Rogério Gentile do UOL


Você sabia que o Portal Juristas está no Facebook, Twitter, Instagram, Telegram, WhatsApp, Google News e Linkedin? Siga-nos

Ricardo Krusty
Ricardo Krusty
Comunicador social com formação em jornalismo e radialismo, pós-graduado em cinema pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Deixe um comentário

Compartilhe

Inscreva-se

Últimas

Recentes
Veja Mais

5ª Edição do International Insolvency Law Conference: um encontro de destaques no campo jurídico internacional

Estão oficialmente abertas as inscrições para a 5ª Edição do International Insolvency Law Conference, um evento imperdível que reunirá profissionais e pesquisadores de destaque no campo da insolvência empresarial. Marcado para os dias 7 e 9 de março, este congresso promete ser um ponto de convergência para diálogos significativos e análises profundas sobre temas cruciais relacionados à recuperação judicial, recuperação extrajudicial e falência, tanto em âmbito nacional quanto internacional.

Dono de imóvel no RN será indenizado por concessionária de energia após danos causados em imóvel após troca de poste

A Companhia Energética do Rio Grande do Norte (Cosern) e uma empresa contratada por esta foram condenadas a indenizar um consumidor em R$ 25 mil por danos materiais causados durante a troca de postes no município de Caicó-RN. A decisão da 2ª Vara da comarca também determinou o pagamento de R$ 10 mil por danos morais ao proprietário do imóvel, com juros e correção monetária, pela concessionária de energia. Além disso, foi autorizado o levantamento de R$ 2.700,00 em aluguéis.

Procon-SP notifica Uber para explicar política de preços

O Procon-SP emitiu uma notificação nesta sexta-feira (23) para o aplicativo de transporte Uber, solicitando explicações sobre sua política de preços, conhecida como tarifa dinâmica. Nesse sistema, o valor das corridas pode variar com base na demanda, o que pode impactar especialmente em dias com problemas no transporte público, como interrupções no metrô.

UFSC não é responsável por furto de veículo em estacionamento público, decide justiça

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) não será obrigada a indenizar uma ex-funcionária do Hospital Universitário (HU) pelo furto de seu veículo em um estacionamento do campus aberto ao público. A decisão foi tomada pela 5ª Vara Federal de Blumenau, que considerou que, como o local do furto era de acesso público e gratuito, a universidade não tinha o dever de vigilância.