Ex-ministro da Justiça de FHC, José Gregori, morre aos 92 anos

Data:

luto morte tristeza nota de pesar
nota de pesar
mwai_images_generator

José Gregori, ex-ministro da Justiça do governo Fernando Henrique Cardoso e defensor dos direitos humanos, faleceu aos 92 anos em São Paulo. Ele estava internado no Hospital Sírio Libanês. Gregori, conhecido como Zé Gregori, deixa três filhas.

O advogado ocupou o cargo de ministro da Justiça durante o segundo governo de Fernando Henrique Cardoso, de 2000 a 2001. Nesse período, também liderou a Secretaria Nacional de Direitos Humanos.

José Gregori foi um dos signatários da "Carta aos Brasileiros", divulgada em 1977, em plena Ditadura Militar, em defesa dos direitos humanos, justiça e cidadania.

Ele fundou e participou ativamente da Comissão Arns, uma organização da sociedade civil dedicada à defesa dos direitos humanos. Em 2011, foi empossado na Academia Paulista de Letras, na cadeira de número 15.

O presidente Lula (PT) lastimou a morte de José Gregori em texto nas redes sociais. "Soube agora do falecimento de José Gregori, ex-Ministro da Justiça e ex-Secretário Nacional de DH. Sua vida foi marcada por um firme compromisso com os direitos humanos e com a consolidação da democracia. Muito obrigado, José Gregori. Seu legado jamais será esquecido."

luto morte tristeza nota de pesar Justiça direito
luto nota de pesar
mwai_images_generator

A Fundação FHC expressou seu luto com a morte de José Gregori, ao defini-lo como "um democrata e um defensor dos direitos humanos em mais de 60 anos de vida pública".

Partido ao qual o advogado era integrante, o PSDB prestou condolências aos familiares e afirmou que "a democracia brasileira e o sistema judiciário devem muito à luta" de Gregori.

O velório acontece nesta segunda-feira (4), no Funeral Home, localizado na região da Avenida Paulista, em São Paulo, das 8h às 14h.

Com informações do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJRS).


Você sabia que o Portal Juristas está no FacebookTwitterInstagramTelegramWhatsAppGoogle News e Linkedin? Siga-nos!

Ricardo Krusty
Ricardo Krusty
Comunicador social com formação em jornalismo e radialismo, pós-graduado em cinema pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Deixe um comentário

Compartilhe

Inscreva-se

Últimas

Recentes
Veja Mais

5ª Edição do International Insolvency Law Conference: um encontro de destaques no campo jurídico internacional

Estão oficialmente abertas as inscrições para a 5ª Edição do International Insolvency Law Conference, um evento imperdível que reunirá profissionais e pesquisadores de destaque no campo da insolvência empresarial. Marcado para os dias 7 e 9 de março, este congresso promete ser um ponto de convergência para diálogos significativos e análises profundas sobre temas cruciais relacionados à recuperação judicial, recuperação extrajudicial e falência, tanto em âmbito nacional quanto internacional.

Dono de imóvel no RN será indenizado por concessionária de energia após danos causados em imóvel após troca de poste

A Companhia Energética do Rio Grande do Norte (Cosern) e uma empresa contratada por esta foram condenadas a indenizar um consumidor em R$ 25 mil por danos materiais causados durante a troca de postes no município de Caicó-RN. A decisão da 2ª Vara da comarca também determinou o pagamento de R$ 10 mil por danos morais ao proprietário do imóvel, com juros e correção monetária, pela concessionária de energia. Além disso, foi autorizado o levantamento de R$ 2.700,00 em aluguéis.

Procon-SP notifica Uber para explicar política de preços

O Procon-SP emitiu uma notificação nesta sexta-feira (23) para o aplicativo de transporte Uber, solicitando explicações sobre sua política de preços, conhecida como tarifa dinâmica. Nesse sistema, o valor das corridas pode variar com base na demanda, o que pode impactar especialmente em dias com problemas no transporte público, como interrupções no metrô.

UFSC não é responsável por furto de veículo em estacionamento público, decide justiça

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) não será obrigada a indenizar uma ex-funcionária do Hospital Universitário (HU) pelo furto de seu veículo em um estacionamento do campus aberto ao público. A decisão foi tomada pela 5ª Vara Federal de Blumenau, que considerou que, como o local do furto era de acesso público e gratuito, a universidade não tinha o dever de vigilância.