Mulher que ligou 2.700 vezes para bombeiros por se sentir sozinha é presa no Japão

Data:

Mulher que ligou 2.700 vezes para bombeiros por se sentir sozinha é presa no Japão | Juristas
bombeiros

Na última quinta-feira (13), autoridades no Japão detiveram  Niroko Hatagami, 51, de Matsudo, na província de Chiba, a leste de Tóquio. Ela é acusada de fazer 2.761 chamadas de emergência falsas (trote)ao longo de quase três anos a uma unidade do Corpo de Bombeiros local.

Niroko foi detida sob suspeita de obstruir as operações das equipes de resgate do corpo de bombeiros local. As ligações foram feitas de seu celular e por outros meios, entre agosto de 2020 e maio de 2023, segundo apurou o jornal britânico Metro.

Ela admitiu fazer ligações porque se sentia sozinha e queria alguém para ouvi-la e lhe dar atenção, segundo informou a imprensa local. Nas ligações de emergência, ela reclamou às autoridades de dores de estômago, overdose de drogas, dores nas pernas e outros sintomas. Quando os serviços locais chegavam, ela aparentemente recusava ajuda médica, negando ter feito qualquer ligação.

Sua prisão ocorreu depois que o Corpo de Bombeiros de Matsudo apresentou uma queixa à polícia, em 20 de junho.

E no Brasil?

anatel
Créditos: ChesiireCat | iStock

De acordo com o artigo 266 do Código Penal Brasileiro, passar trote para serviços de emergência é crime e o infrator pode pegar de um a seis meses de detenção.

Quando uma pessoa liga para os serviços de emergência (como os bombeiros, a polícia ou os serviços de ambulância) com informações falsas ou enganosas, está desperdiçando recursos vitais que poderiam ser usados para ajudar pessoas em perigo real. Isso pode ter sérias consequências, pois os recursos de emergência podem ser direcionados para uma situação fictícia, enquanto alguém em perigo real não recebe a assistência necessária. Confira situações desse tipo que podem ser enquadradas como ato criminoso:

  • Art. 266 - Interromper ou perturbar serviço telegráfico, radiotelegráfico ou telefônico, impedir ou dificultar-lhe o restabelecimento. Pena: detenção de um a três anos e multa.
  • Art. 265 - Atentar contra a segurança ou o funcionamento de serviço de água, luz, força ou calor, ou qualquer outro de utilidade pública. Pena: reclusão de um a cinco anos e multa.
  • Art. 340 - Provocar a ação de autoridade, comunicando-lhe a ocorrência de crime ou de contravenção que sabe não se ter verificado. Pena: detenção de um a seis meses ou multa.
  • Art. 339. Dar causa a instauração de investigação policial ou de processo judicial contra alguém, imputando-lhe crime de que o sabe inocente. Reclusão de dois a oito anos e multa.
  • Art. 41 da Lei de Contravenções Penais, que fala sobre "provocar alarme, anunciando desastre ou perigo inexistente, ou praticar qualquer ato capaz de produzir pânico ou tumulto".

Com informações do UOL e G1.


Você sabia que o Portal Juristas está no FacebookTwitterInstagramTelegramWhatsAppGoogle News e Linkedin? Siga-nos por lá.

Ricardo Krusty
Ricardo Krusty
Comunicador social com formação em jornalismo e radialismo, pós-graduado em cinema pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Deixe um comentário

Compartilhe

Inscreva-se

Últimas

Recentes
Veja Mais

5ª Edição do International Insolvency Law Conference: um encontro de destaques no campo jurídico internacional

Estão oficialmente abertas as inscrições para a 5ª Edição do International Insolvency Law Conference, um evento imperdível que reunirá profissionais e pesquisadores de destaque no campo da insolvência empresarial. Marcado para os dias 7 e 9 de março, este congresso promete ser um ponto de convergência para diálogos significativos e análises profundas sobre temas cruciais relacionados à recuperação judicial, recuperação extrajudicial e falência, tanto em âmbito nacional quanto internacional.

Dono de imóvel no RN será indenizado por concessionária de energia após danos causados em imóvel após troca de poste

A Companhia Energética do Rio Grande do Norte (Cosern) e uma empresa contratada por esta foram condenadas a indenizar um consumidor em R$ 25 mil por danos materiais causados durante a troca de postes no município de Caicó-RN. A decisão da 2ª Vara da comarca também determinou o pagamento de R$ 10 mil por danos morais ao proprietário do imóvel, com juros e correção monetária, pela concessionária de energia. Além disso, foi autorizado o levantamento de R$ 2.700,00 em aluguéis.

Procon-SP notifica Uber para explicar política de preços

O Procon-SP emitiu uma notificação nesta sexta-feira (23) para o aplicativo de transporte Uber, solicitando explicações sobre sua política de preços, conhecida como tarifa dinâmica. Nesse sistema, o valor das corridas pode variar com base na demanda, o que pode impactar especialmente em dias com problemas no transporte público, como interrupções no metrô.

UFSC não é responsável por furto de veículo em estacionamento público, decide justiça

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) não será obrigada a indenizar uma ex-funcionária do Hospital Universitário (HU) pelo furto de seu veículo em um estacionamento do campus aberto ao público. A decisão foi tomada pela 5ª Vara Federal de Blumenau, que considerou que, como o local do furto era de acesso público e gratuito, a universidade não tinha o dever de vigilância.