Black Friday chegando – Veja as necessidades de proteção das empresas neste período

1594
Black Friday no Brasil - Comércio Eletrônico
Créditos: Nerthuz / iStock

Atenção donos de e-commerce e também de lojas físicas: mais uma Black Friday aparece radiante no horizonte. A época agora é de organizar promoções, preparar boas estratégias de Marketing e caprichar na imagem dos produtos.

O objetivo é aproveitar o período para incentivar os clientes a comprarem. Porém, de que adianta os preços convidativos se os visitantes ficam com um pé atrás quando notam que o seu site não transmite segurança?

A mesma pergunta também vale para os sites das lojas físicas, afinal, em uma época em que o marketing omnichannel está na pauta do empreendedorismo, todos os canais de venda (online ou não) estão unidos.

Proteção também significa preocupação em atender bem

Que efetuar uma compra via online tem as suas vantagens disso ninguém duvida, pois velocidade, comodidade e facilidade de ter qualquer produto ou serviço ao alcance do seu mouse sem precisar saia de casa não tem preço. 

Apesar dos evidentes benefícios, para que nenhum cliente abandone o carrinho ao navegar no seu site, é necessário pensar na proteção e também no bom desempenho do seu site.

Na Black Friday o fluxo de clientes em busca do melhor preço obriga qualquer empreendedor a pensar com carinho em uma boa hospedagem de site, especialmente em uma hospedagem que contenha o certificado SSL

Esse certificado é o principal indício para os visitantes digitarem sem medo os seus dados, senhas e números importantes, permitindo que eles cliquem na opção “comprar” cientes de que estão em ambiente seguro.

No entanto, a proteção das empresas no período da Black Friday não se resume apenas a obter o seu certificado SSL. É preciso dar atenção também para outros detalhes.

Por isso, em época de Black Friday, confira aqui algumas dicas sobre o que é necessário fazer em relação a proteção da sua empresa. 

Utilizar plugins e extensões

Quem tem uma loja virtual construída em WordPress, por exemplo, tem à disposição plugins e extensões adaptados para esse tipo de site. O WooComerce está aí para provar isso, contendo vários recursos capazes de turbinar uma loja online.

Há também outros plugins com outros recursos. Porém, aqui vale citar uma dica valiosa: quantidade não é qualidade. Ou seja, não adianta entupir o e-commerce com plugins, pois isso vai sobrecarregar o site e deixá-lo mais lento e pesado.

Outra coisa: na hora de optar por instalar um plugin, é fundamental ver se a fonte dele é de confiança. Mantenha-se a anos-luz de distância de sites piratas, pois eles podem apresentar malwares e outras ameaças que comprometem a segurança do e-commerce.

Sendo assim, é importante averiguar quando foi a última vez que o criador do plugin ou da extensão efetuou alguma atualização. Sabemos que quanto mais tempo sem nenhuma modificação, mais portas ficam abertas para hackers e outros espertinhos atuarem.

Alterar as configurações padrão do sistema de gerenciamento

Já falamos aqui do WordPress, porém iguais a outras plataformas, como o Magento e o Joomla!, é bom dar uma atenção para as configurações de proteção que elas apresentam.

Lembre-se que é possível efetuar alterações para torná-las ainda mais eficientes. Além disso, hoje em dia essas plataformas são intuitivas e permitem que, mesmo sem muito conhecimento técnico, o usuário efetue as atualizações necessárias.

Não custa lembrar também que, com alguns cliques aqui e ali, é possível encontrar tutoriais que serão úteis para quem quer fazer atualizações e modificações no sistema. 

Realizar backups constantes

Não é por acaso que as melhores empresas de hospedagem de site oferecem em seus melhores planos a possibilidade de backups.

Os backups consistem naquela velha (e sempre eficiente) tática de que prevenir é melhor do que remediar. Graças a eles, qualquer problema que possa acontecer no site, não pegará o empreendedor de surpresa, pois tudo estará devidamente protegido.

Tenha antivírus no computador e firewall no site

A segurança do dispositivo que o empreendedor usa para acessar e atualizar a loja online também é um quesito a ser levado em conta. Por isso, seja no computador, tablet ou smartphone, a presença de um antivírus reforça a proteção.

Além disso, para a proteção do site, é bom contar também com um WAF, a sigla para o termo Website Application Firewall. Ele auxilia filtrando o tráfego, aceitando apenas tráfego legítimo e evitando possíveis ataques maliciosos e spams.

Conclusão

A Black Friday é um momento aguardado tanto pelos lojistas quanto pelos consumidores. É o momento propício para impulsionar as vendas e apostar em estratégias de divulgação do negócio.

Por esse motivo, quando os picos de tráfegos aumentam, pensar em proteção nunca é demais, pois segurança também faz parte da política de atender bem os clientes. 

Sendo assim, siga as dicas acima citadas e torne a experiência de compra na Black Friday algo realmente agradável para os clientes e bastante lucrativo para a sua empresa.

E-Commerce - Black Friday
Créditos: Avosb / iStock

DEIXE UMA RESPOSTA