11 de agosto, dia dos defensores da justiça e dos direitos: Advogados e Advogadas do Brasil

Data:

11 de agosto, dia dos defensores da justiça e dos direitos: Advogados e Advogadas do Brasil | JuristasNa defesa das garantias fundamentais, da ordem democrática e da cidadania, os advogados são pilares essenciais. São eles os responsáveis por assegurar as liberdades individuais, zelar pela moralidade pública e questionar incansavelmente, sempre em busca da equidade e da coesão social. Hoje, em 11 de agosto, celebramos estes que estão sempre à disposição, atuando para preservar os direitos sociais e reduzir o espaço para arbitrariedades: os advogados e advogadas do Brasil.

Os profissionais da advocacia desempenham um papel insubstituível na administração da justiça. São guerreiros e guerreiras que unem coragem e serenidade, defendendo causas justas e contribuindo para o aprimoramento das leis e instituições.

Eles dedicam suas vidas à proteção dos direitos coletivos e individuais. Hoje, nossa homenagem e reconhecimento se estendem a todos os advogados e advogadas.

Sobre o Dia do Advogado:

O Dia do Advogado é celebrado em 11 de agosto por uma razão especial: em 1824, após a outorga da Primeira Constituição Brasileira por Dom Pedro I, os quatro poderes - Moderador, Executivo, Legislativo e Judiciário - foram estabelecidos. No entanto, havia a necessidade de profissionais para exercer e fiscalizar essas atividades, e a falta de brasileiros com conhecimento jurídico independente era evidente.

Naquela época, a maioria dos operadores do Direito se formava em Coimbra, Portugal. Considerando o contexto da independência do Brasil de Portugal, surgiu a necessidade de uma cultura jurídica própria. Foi então promulgado o decreto que criou os primeiros cursos jurídicos no Brasil, em São Paulo e Olinda, através da Lei de 11 de agosto

de 1827. Desde então, essa data é reconhecida como o Dia do Advogado, também conhecido como o Dia dos Cursos Jurídicos.


Você sabia que o Portal Juristas está no FacebookTwitterInstagramTelegramWhatsAppGoogle News e Linkedin? Siga-nos

Ricardo Krusty
Ricardo Krusty
Comunicador social com formação em jornalismo e radialismo, pós-graduado em cinema pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Deixe um comentário

Compartilhe

Inscreva-se

Últimas

Recentes
Veja Mais

5ª Edição do International Insolvency Law Conference: um encontro de destaques no campo jurídico internacional

Estão oficialmente abertas as inscrições para a 5ª Edição do International Insolvency Law Conference, um evento imperdível que reunirá profissionais e pesquisadores de destaque no campo da insolvência empresarial. Marcado para os dias 7 e 9 de março, este congresso promete ser um ponto de convergência para diálogos significativos e análises profundas sobre temas cruciais relacionados à recuperação judicial, recuperação extrajudicial e falência, tanto em âmbito nacional quanto internacional.

Dono de imóvel no RN será indenizado por concessionária de energia após danos causados em imóvel após troca de poste

A Companhia Energética do Rio Grande do Norte (Cosern) e uma empresa contratada por esta foram condenadas a indenizar um consumidor em R$ 25 mil por danos materiais causados durante a troca de postes no município de Caicó-RN. A decisão da 2ª Vara da comarca também determinou o pagamento de R$ 10 mil por danos morais ao proprietário do imóvel, com juros e correção monetária, pela concessionária de energia. Além disso, foi autorizado o levantamento de R$ 2.700,00 em aluguéis.

Procon-SP notifica Uber para explicar política de preços

O Procon-SP emitiu uma notificação nesta sexta-feira (23) para o aplicativo de transporte Uber, solicitando explicações sobre sua política de preços, conhecida como tarifa dinâmica. Nesse sistema, o valor das corridas pode variar com base na demanda, o que pode impactar especialmente em dias com problemas no transporte público, como interrupções no metrô.

UFSC não é responsável por furto de veículo em estacionamento público, decide justiça

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) não será obrigada a indenizar uma ex-funcionária do Hospital Universitário (HU) pelo furto de seu veículo em um estacionamento do campus aberto ao público. A decisão foi tomada pela 5ª Vara Federal de Blumenau, que considerou que, como o local do furto era de acesso público e gratuito, a universidade não tinha o dever de vigilância.