Justiça mineira condena Atlético-MG a pagar R$ 5,5 mi a empresário por saída de Pratto

Data:

Figueirense Futebol Clube
Créditos: alphaspirit / iStock

A Justiça mineira condenou o Atlético-MG a pagar R$ 5,5 milhões à empresa Link Assessoria Esportiva, do empresário André Cury, por comissão na venda de Lucas Pratto para o São Paulo. A decisão foi do juiz Eduardo Ramiro, da 15ª Vara Cível de Belo Horizonte.

De acordo com o UOL Esporte, o agente ingressou na Justiça alegando que o Galo deveria ter pago 500 mil euros até o fim de 2017, conforme cláusula contratual firmada entre as partes, o que não ocorreu, e mais 194,8 mil euros pela posterior ida de Pratto ao River Plate, o que também constava em contrato, totalizando uma dívida de 694,8 mil euros. Atualizado, esse valor chega a 5,5 milhões de euros (R$ 28,6 milhões na cotação atual), já com juros e correções monetárias.

Jogo de Futebol
Créditos: PhonlamaiPhoto / iStock

Cury alega ter tentado fazer acordo com o clube sem sucesso e que um ex-presidente do Atlético assinou documento validando que deveria ser utilizada a cotação do dia dos efetivos pagamentos, e não da data do contrato.

O Galo contestou a cobrança, afirmando que não recebeu as notas fiscais referentes aos pagamentos, que a comissão seria indevida e ainda que o valor pleiteado estava em excesso. Por fim, o Atlético apontou que passou por "perdas devastadoras" em suas receitas na pandemia.

Grêmio e Internacional são responsáveis subsidiários por verbas de vendedor de bar nos estádios
Créditos: KP Photograph / Shutterstock.com

O Juiz, deu ganho de causa ao empresário, condenando o Galo a desembolsar 694,8 mil euros a partir das datas do vencimento de cada parcela da obrigação. O clube ainda vai ter que arcar com 10% do valor da condenação em honorários advocatícios - o agente é representado pelas advogadas Adriana Cury e Fernanda Saade.

Com informações do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (TRT4).


Fique por dentro de tudo que acontece no mundo jurídico no Portal Juristas, siga nas redes sociais: FacebookTwitterInstagram e Linkedin. Adquira seu registro digital e-CPF e e-CNPJ na com a Juristas Certificação Digital, entre em contato conosco por e-mail ou pelo WhatsApp (83) 9 93826000.

Ricardo Krusty
Ricardo Krusty
Comunicador social com formação em jornalismo e radialismo, pós-graduado em cinema pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Deixe um comentário

Compartilhe

Inscreva-se

Últimas

Recentes
Veja Mais

Empresa de fotos e vídeos condenada por falha em filmagem de casamento

A 13ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) confirmou a decisão da Comarca de Lavras que responsabilizou uma empresa de fotografia e vídeo a pagar R$ 10 mil por danos morais e R$ 1,4 mil por danos materiais a uma noiva, devido a falhas na filmagem de seu casamento.

Homem trans será indenizado por não ter nome social reconhecido em registro bancário

A 18ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) alterou uma decisão inicial e determinou que um banco indenize um homem trans em R$ 10 mil por danos morais devido ao não reconhecimento do seu nome social nos registros bancários.

Justiça condena hospital, plano de saúde e médico a indenizar paciente por erro em cirurgia

A 14ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) confirmou uma decisão da Comarca de Belo Horizonte que responsabiliza um hospital, um médico anestesista e um plano de saúde pelo pagamento de indenizações à uma paciente, totalizando R$ 200 mil, divididos igualmente entre danos morais e estéticos.

TJ mineiro mantém condenação de motorista que atropelou idoso

A 18ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) confirmou uma decisão da Comarca de Monte Belo, no Sul de Minas, condenando um motorista a pagar R$ 100 mil por danos morais à esposa de um idoso que faleceu em um acidente de trânsito.