Recuperação judicial da SouthRock Capital gera incertezas sobre o futuro de marcas como Starbucks e Subway no Brasil

Data:

Starbucks coffee and beans
Créditos: monticelllo / iStock

A notícia do pedido de recuperação judicial da SouthRock Capital, operadora das marcas Starbucks, Subway, Eataly e TGI Fridays no Brasil, surpreendeu funcionários e consumidores, gerando especulações sobre o destino das lojas dessas marcas no país. A empresa, que acumula uma dívida de R$ 1,8 bilhão, alegou diversos fatores, incluindo instabilidade econômica, volatilidade dos juros e os impactos da pandemia de covid-19, como razões para a medida. A informação é do UOL.

Em 2020, a SouthRock enfrentou uma queda massiva de 95% nas vendas devido à pandemia, somada à inadimplência de parceiros comerciais. Em 2021, a situação persistiu com uma queda de 70% nas vendas, chegando a mais 30% em 2022, levando à decisão de recuperação judicial apresentada ao Tribunal de Justiça de São Paulo.

A SouthRock, fundada em 2015, inicialmente focada na gestão, desenvolvimento e operação de marcas de alimentos e bebidas no Brasil, expandiu seu portfólio ao longo dos anos. Tornou-se licenciada da Starbucks e das lanchonetes TGI Fridays em 2018, adquirindo posteriormente os direitos de operação do Eataly e assumindo a operação do Subway no país.

A empresa está passando por ajustes em seu modelo de negócios para se adaptar à realidade econômica atual, envolvendo a revisão do número de lojas operantes, do quadro de funcionários, do cronograma de abertura de novas lojas, além de ajustes com fornecedores e parceiros.

Recuperação judicial da SouthRock Capital gera incertezas sobre o futuro de marcas como Starbucks e Subway no Brasil | Juristas
MOSCOW, RUSSIA - 04.20.2015. food court in a large shopping center Ladia in Mitino

Segundo a SouthRock, a marca Subway não faz parte do pedido de recuperação judicial. "Por uma decisão de negócios, tomada em conjunto com seus parceiros comerciais", justifica. As demais marcas, Eataly e TGI Friday, no entanto, estão, sim, contempladas no pedido, conforme a empresa.

Após o pedido de recuperação judicial ser negado inicialmente pela Justiça de São Paulo, a SouthRock obteve uma decisão favorável uma semana depois, com efeitos temporários para proteger parte do seu patrimônio. O juiz solicitou uma perícia judicial para avaliar a situação financeira da empresa. Além disso, R$ 5 milhões foram bloqueados pela Justiça atendendo a pedido dos credores. O desenrolar desse processo determinará o futuro das marcas operadas pela SouthRock no Brasil.

Nota da SouthRock Capital na íntegra:

Recuperação judicial da SouthRock Capital gera incertezas sobre o futuro de marcas como Starbucks e Subway no Brasil | Juristas
SAO PAULO (SP), 11/12/2023 - ECONOMY/STARBUCKS IN CRISIS IN BRAZIL - Several Starbucks stores were closed, following a request for judicial recovery from the operator SouthRock Capital, which has debts estimated at around R$1.8 billion. (Foto: Saulo Dias/Thenews2/Deposit Photos)

Ao longo dos últimos três anos, desde que a pandemia da covid-19 transformou drasticamente a vida de todos ao redor do mundo, incontáveis empresas, incluindo varejistas, têm sido vistas lutando para manter suas operações. Os desafios econômicos no Brasil resultantes da pandemia, a inflação e a permanência de taxas de juros elevadas agravaram os desafios para todos os varejistas, incluindo a SouthRock.

Neste cenário, a SouthRock segue comprometida a defender a sua missão e seus valores, enquanto entra em uma nova fase de desafios, que exigiu a reestruturação de seus negócios para continuar protegendo as marcas das quais tem orgulho de representar no Brasil, os seus Partners (colaboradores), consumidores e as operações de suas lojas.

O processo de reestruturação da SouthRock já começou, com o apoio de consultores externos e stakeholders. Mas, o trabalho deve continuar, então a SouthRock solicitou recuperação judicial para proteger financeiramente suas operações no Brasil atrelado a decisões estratégicas para ajustar seu modelo de negócio à atual realidade econômica. Por uma decisão de negócios, tomada em conjunto com seus parceiros comerciais, a marca Subway não faz parte do pedido de recuperação judicial.

Neste momento, o pedido está sendo analisado pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), o qual já concedeu tutela de urgência à SouthRock, antecipando parte dos efeitos da recuperação judicial.

Os ajustes às marcas já previstos pela SouthRock incluíram a revisão do número de lojas operantes, do calendário de aberturas, de alinhamentos com fornecedores e stakeholders, bem como de sua força de trabalho tal como está organizada atualmente.

Enquanto esses ajustes estruturais são implementados, todas as marcas continuarão sendo operadas pela SouthRock, entregando os produtos exclusivos e as experiências únicas que cada uma delas oferece aos consumidores que visitam suas lojas todos os dias.

Com informações do UOL.


Você sabia que o Portal Juristas está no FacebookTwitterInstagramTelegramWhatsAppGoogle News e Linkedin? Siga-nos!

Ricardo Krusty
Ricardo Krusty
Comunicador social com formação em jornalismo e radialismo, pós-graduado em cinema pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Deixe um comentário

Compartilhe

Inscreva-se

Últimas

Recentes
Veja Mais

Divórcio após morte de um dos cônjuges é concedido pela justiça

A 3ª Vara da Família e das Sucessões de Santos determinou o divórcio post mortem, com efeitos retroativos à data da propositura da ação, em decorrência do falecimento do cônjuge após a citação no processo.

Morte de titular não impede que dependentes sigam cobertos por plano de saúde, diz TJSC

A 2ª Câmara Civil do Tribunal de Justiça manteve decisão da comarca de Joinville que determinou a manutenção de mãe e filho em plano de saúde cujo titular – marido e pai dos demandantes – faleceu, nos moldes anteriores ao óbito.

A advocacia como atividade não residual

Não raras às vezes o estudante de direito é seduzido na graduação pelo corporativismo (ainda que em forma de brincadeira) que alguns professores empregam em suas cadeiras – leia-se matérias do curso de direito.

TJPB mantém condenação por maus-tratos e abandono de incapaz

A Câmara Criminal do Tribunal de Justiça da Paraíba manteve a condenação de uma mulher por maus-tratos e abandono de incapaz contra sua própria mãe idosa. O recurso da acusada foi negado após análise do caso, que apontou a exposição da idosa, na época com 82 anos, a condições desumanas e degradantes, privando-a dos cuidados necessários e abandonando-a sob sua responsabilidade.