TRF3 confirma concessão pelo INSS de aposentadoria especial a comissária de voo

Data:

aposentadoria / inss
Créditos: Joa_Souza | iStock

A Oitava Turma do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF3) ratificou uma decisão que reconheceu como especial o trabalho de uma comissária de voo, determinando ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) a concessão de aposentadoria especial à segurada.

Os magistrados seguiram a legislação previdenciária vigente à época e consideraram laudos técnicos, elaborados por similaridade, que comprovaram o exercício de atividade especial no período de abril de 1995 a novembro de 2019.

Após a 1ª Vara Federal de Bragança Paulista/SP determinar a concessão do benefício, o INSS recorreu ao TRF3, alegando que não foi confirmado o exercício da atividade especial. A autarquia argumentou que o laudo técnico não indicou similaridade entre as empresas.

lewandowski
Créditos: Away lGl | iStock

O desembargador federal Toru Yamamoto, relator do processo (5000224-20.2022.4.03.6123), esclareceu que os documentos apresentados foram hábeis para demonstrar o trabalho em condições agressivas. Ele destacou que esses documentos, apesar de terem sido produzidos em processos de outros funcionários, correspondem à mesma função exercida pela autora, referem-se à mesma época de prestação de serviços e foram realizados por determinação judicial em empresas similares.

Segundo o processo, a autora exerceu funções de comissária de bordo em aeronaves, submetida de modo habitual e permanente a pressão atmosférica anormal, capaz de ser nociva à saúde.

BPC - Benefício de Prestação Continuada
Créditos: utah778 / iStock

Os magistrados consideraram os períodos de atividade especial até 26 de junho de 2021, data do requerimento administrativo, como suficientes para a concessão da aposentadoria especial prevista nos artigos 57 e 58 da Lei nº 8.213/1991, correspondente a 100% do salário-de-benefício. Com esse entendimento, a Oitava Turma, por unanimidade, negou provimento ao recurso do INSS e manteve a sentença.

Com informações do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF3).


Você sabia que o Portal Juristas está no FacebookTwitterInstagramTelegramWhatsAppGoogle News e Linkedin? Siga-nos!

Ricardo Krusty
Ricardo Krusty
Comunicador social com formação em jornalismo e radialismo, pós-graduado em cinema pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Deixe um comentário

Compartilhe

Inscreva-se

Últimas

Recentes
Veja Mais

A Influência da Identidade Visual na Força da Marca

A Influência da Identidade Visual na Força da Marca Definição...

Marcas Notoriamente Conhecidas: Proteção e Exemplos no Brasil

No mundo dos negócios, algumas marcas alcançam um nível de reconhecimento tão alto que se tornam notoriamente conhecidas. Essas marcas gozam de uma proteção especial, mesmo que não estejam registradas em todas as classes de produtos ou serviços. Este artigo aborda o conceito de marcas notoriamente conhecidas, a proteção legal conferida a elas no Brasil e exemplos de marcas que se enquadram nessa categoria.

Modelo de recurso contra multa por não obedecer à sinalização de trânsito

Modelo para recurso contra multa por não obedecer à...

TJSP invalida venda de empresa por inclusão de crédito do qual não é titular

A 1ª Câmara Reservada de Direito Empresarial do Tribunal de Justiça de São Paulo, em julgamento estendido, declarou a invalidade da venda de uma empresa que incluía no preço final valores de precatórios dos quais não era titular, caracterizando uma operação de crédito a non domino.