Farmácia de manipulação tem pedido negado para nomear fórmulas em rótulos de produtos

Data:

Farmácia de manipulação
Créditos: PR Image Factory / Shutterstock.com

A 3ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) confirmou a sentença da 2ª Vara da Fazenda Pública de Piracicaba, proferida pelo juiz Maurício Habice, que negou um mandado de segurança impetrado por uma farmácia de manipulação contra a proibição de nomear as fórmulas de seus produtos manipulados nos rótulos.

A farmácia recorreu alegando violação de direito líquido e certo de atribuir nomes aos medicamentos para facilitar a identificação pelos clientes, buscando que os órgãos fiscalizadores se abstivessem de efetuar qualquer tipo de sanção. No entanto, o relator do recurso, desembargador Kleber Leyser de Aquino, reiterou que essa conduta vai contra uma resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que regula a atividade.

O desembargador destacou que a farmácia está submetida às normas da Anvisa por ser uma empresa cujo objeto social é a exploração do ramo de farmácia de manipulação e homeopatia, o que impede a exposição de produtos manipulados com objetivos de propaganda, publicidade ou promoção, bem como a atribuição de nomes de fórmulas ou de fantasia a eles.

Mandado de Segurança - pm-ms
Créditos: Zolnierek | iStock

Ele ressaltou que essa proibição visa impedir que farmácias de manipulação atuem parcialmente como indústrias farmacêuticas, as quais possuem regulamentação, fiscalização e ambiente próprios para proteger os consumidores. O relator afirmou que nomear as fórmulas ou atribuir nomes de fantasia aos produtos manipulados possibilitaria a criação e comercialização de um produto não regularizado por uma empresa não licenciada nem autorizada para essa atividade.

O julgamento teve participação dos desembargadores José Luiz Gavião de Almeida e Marrey Uint, e a decisão foi unânime.

Com informações do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP).


Você sabia que o Portal Juristas está no FacebookTwitterInstagramTelegramWhatsAppGoogle News e Linkedin? Siga-nos!

Ricardo Krusty
Ricardo Krusty
Comunicador social com formação em jornalismo e radialismo, pós-graduado em cinema pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Deixe um comentário

Compartilhe

Inscreva-se

Últimas

Recentes
Veja Mais

Guia Completo para Obter um Visto de Trabalho em Portugal: Passo a Passo para Profissionais Internacionais

Mudar-se para Portugal é um sonho para muitos devido ao seu clima ameno, qualidade de vida elevada e rica cultura histórica. Para profissionais de fora da União Europeia, uma das vias principais para realizar esse sonho é através da obtenção de um visto de trabalho. Este guia abrangente fornece um passo a passo detalhado sobre como aplicar para um visto de trabalho em Portugal, incluindo dicas essenciais e requisitos legais.

Como funciona a obtenção de múltiplas cidadanias?

A obtenção de múltiplas cidadanias pode ocorrer de várias maneiras, dependendo das leis e regulamentos de cada país envolvido. Aqui está uma visão geral dos principais métodos pelos quais uma pessoa pode adquirir mais de uma cidadania:

Uma pessoa pode ter diversos passaportes e nacionalidades?

Sim, uma pessoa pode possuir diversos passaportes e nacionalidades, em um arranjo conhecido como dupla ou múltipla cidadania. Isso significa que ela é reconhecida como cidadã por mais de um país e pode usufruir dos direitos e benefícios associados a cada uma das suas nacionalidades.

O que é o NIF em Portugal?

O NIF (Número de Identificação Fiscal) em Portugal é um número único atribuído aos contribuintes para efeitos de tributação e outras atividades administrativas relacionadas com as finanças do Estado. Este número é essencial para a identificação dos cidadãos nas suas relações com a Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) de Portugal, bem como em diversas transações financeiras e legais no país.