Em queda, bitcoin faz surgir os primeiros ex-bilionários

302

O ano de 2017 foi ótimo para a moeda virtual, mas a situação em 2018 é bem diferente

Entre as moedas virtuais, sem dúvidas, o bitcoin é a principal, que mais se destaca e é mais conhecida por parte da população. Com tanto interesse, o valor da moeda subiu muito, já que as regras de oferta e demanda se encaixam perfeitamente nesse cenário.

Apenas no ano de 2017, a valorização da criptomoeda foi de 1400%, o que fez com que ela atingisse o valor recorde de sua história: US$ 19,3 mil.

Já em 2018, porém, a situação vem sendo bem diferente. Nos últimos 30 dias, o valor despencou em 50%, e as cotações ficaram abaixo de US$ 10 mil. Inclusive, em apenas 24 horas, o valor chegou a cair 21%.

Logo, os investidores que detinham seus recursos no bitcoin viram a fortuna diminuir drasticamente.

Queda na fortuna de irmãos investidores

Dois irmãos gêmeos, Cameron e Tyler Winklevoss, com 36 anos, já fizeram sucesso ao processar Mark Zuckerberg, criador do Facebook, ao alegarem que ele roubou a ideia da rede social, que era chamada de “Harvard Connection”. Com isso, eles ganharam US$ 65 milhões.

No ano de 2013, eles investiram aproximadamente US$ 11 milhões em bitcoins, e em 2017, a fóruns já estava em US$ 1,7 bilhão. Com isso, eles foram alguns dos primeiros investidores da moeda virtual a alcançar a marca de US$ 1 bilhão, no mês de dezembro de 2017.

Com essas quedas, porém, 37% da fortuna conjunta dos irmãos foi perdida. Assim, hoje, cada um detém, aproximadamente, US$ 739 milhões de dólares em bitcoins.

Ainda assim, eles não se mostraram muito preocupados, já que disseram em uma entrevista que acreditam que o valor da moeda digital pode aumentar de 10 a 20 vezes em relação à cotação atual.

Fonte oficial: Exame

DEIXE UMA RESPOSTA