Gestão de equipe na advocacia remota: como manter a produtividade e o engajamento no modelo híbrido

Gestão de equipe na advocacia remota
Créditos: fauxels / pexels

A gestão de equipe na advocacia remota é hoje um dos principais desafios de sócios e gestores. Com a pandemia, o modelo híbrido de trabalho na advocacia se transformou em uma tendência, porém nessa nova forma de atuar, muitos advogados ainda têm dúvidas sobre como manter o time alinhado e produtivo quando os profissionais não dividem o mesmo espaço físico de trabalho. 

Saber como realizar uma boa gestão de equipe na advocacia remota não é algo tão simples, contudo, também não é um desafio impossível. Para profissionais e escritórios que optaram por flexibilizar o espaço físico de trabalho e adotar a advocacia digital, separamos algumas dicas. Confira!

Modelo de trabalho híbrido na advocacia: como funciona?

Com a pandemia e o aumento das medidas de restrição, alguns escritórios optaram pelo home office em tempo integral, outros adotaram um sistema de rodízio de profissionais para que o isolamento no espaço físico fosse garantido. 

 Vale destacar que o primeiro desafio imposto na mudança do modelo de trabalho foi o processo de tomada de decisões interno. Afinal, nem todos os advogados gostaram da ideia de trabalhar em home office e nem todo mundo contava com uma estrutura própria para transferir o trabalho para casa. Nesse sentido, algumas bancas optaram por ceder o mobiliário, outras deixaram a critério do advogado escolher onde trabalhar. 

 Para que o modelo híbrido de trabalho na advocacia funcione, no entanto, o uso de ferramentas digitais foi imprescindível. Isso porque, para permitir que o trabalho fosse realizado de forma remota era indispensável o uso de ferramentas que organizassem as rotinas e atividades, bem como, permitissem a interação online. Não demorou muito tempo para que os escritórios percebessem que inúmeras reuniões em ferramentas de videoconferência não eram uma boa alternativa para manter o time engajado e alinhado. 

Logo, planejar rotinas, definir responsáveis e limitar canais de comunicação foi um passo importante para aqueles que conseguiram manter a produtividade e o engajamento mesmo trabalhando a distância.

Vantagens e desvantagens do modelo híbrido na advocacia

Assim como qualquer modelo de trabalho, o modelo híbrido na advocacia também apresenta vantagens e desvantagens. Para promover uma gestão de equipe remota na advocacia com a máxima eficiência, é importante conhecê-las. 

Vantagens do modelo híbrido

Nem todo advogado gosta de trabalhar fora do escritório. Mas a maioria adora ter autonomia e flexibilidade. Uma das principais vantagens do modelo híbrido é oferecer ao advogado opções e mostrar que, juntamente com as escolhas, existem as responsabilidades. Trabalhar em casa pode ser mais vantajoso e cômodo, mas também requer uma dose maior de disciplina. Já quem atua no escritório pode ter mais foco, porém, precisa gastar tempo e energia no deslocamento. O lado bom do modelo híbrido de trabalho na advocacia é que o advogado experimenta os “dois lados da moeda” e pode optar por aquele que se sente mais confortável. Dar esse tipo de opção ao profissional garante muito mais satisfação no trabalho e aumenta o senso de bem-estar.

 Satisfação no ambiente de trabalho, ao contrário do que muitos profissionais ainda pensam, é um fator importantíssimo já que garante menos rotatividade nos escritórios. Preservar talentos dentro de um time de advogados traz resultados, seja em termos de aumento da cartela de clientes, seja em termos de visibilidade para o escritório. Logo, vale a pena investir em políticas que valorizam a satisfação e o bem-estar na advocacia.

Desvantagens

O trabalho feito a distância, contudo, também apresenta algumas desvantagens. Um dos principais entraves de quem trabalha remotamente ou em um modelo híbrido é ter uma comunicação eficaz. É muito comum nesses modelos de trabalho as falhas de comunicação e na advocacia esse tipo de erro costuma gerar danos irreparáveis como a perda de um prazo por exemplo, ou a falta de comunicação com um cliente. 

 Outra desvantagem é a socialização, que fica enfraquecida. Queira ou não queira somos seres sociais e o engajamento e o contato dentro do ambiente de trabalho também é responsável pela satisfação e até o desenvolvimento da equipe.

 Por fim, a falta de visibilidade também pode se transformar em um problema. Para os gestores e sócios fica difícil identificar advogados mais dispersos e mais relutantes em assumir responsabilidades com o trabalho. 

Gestão de equipe na advocacia remota: como fazer?

Conhecendo as vantagens e os desafios que o trabalho remoto ou o modelo híbrido representam, fica mais simples adotar medidas que favoreçam a produtividade e o engajamento do time de advogados.

Defina previamente as rotinas jurídicas antes de adotar as ferramentas digitais

O que não faltam hoje são ferramentas digitais para o advogado. Porém, antes de adotar um arsenal inteiro de ferramentas, o ideal é estabelecer um workflow, ou seja, um fluxo de trabalho e os respectivos responsáveis. Se estamos falando de um escritório que atua no contencioso, é fundamental estabelecer quem serão os advogados responsáveis por um determinado processo e quem ficará encarregado de fazer o acompanhamento das publicações, a comunicação do cliente e a redação de peças jurídicas, por exemplo. O mesmo vale para atividades consultivas. É fundamental organizar as rotinas internas antes de escolher quais são as ferramentas digitais que serão utilizadas. 

Hoje a advocacia conta com ferramentas específicas, como os softwares jurídicos, por exemplo. Contudo, também existem ferramentas diversas que, embora não contem com a vantagem de ter funcionalidades integradas, servem bem aos pequenos e médios escritórios que contam com equipes mais enxutas. 

Defina regras para os meios de comunicação

WhatsApp, e-mail, Messenger, Telegram, Skype e Discord. Hoje existem inúmeras ferramentas de comunicação disponíveis para o advogado. Contudo, quanto mais canais de comunicação se utilizam, maiores as chances dos erros e falhas surgirem. 

Para quem trabalha em um modelo híbrido ou remotamente, o ideal é definir previamente quais serão os canais de comunicação e criar regras para o seu uso. Um exemplo é usar o WhatsApp somente para urgências e comunicação rápida. Já o e-mail deve ser utilizado para reportar questões relativas a casos e clientes. O ideal é centralizar as informações mais relevantes em uma plataforma só para que não fiquem isoladas ou se percam.

Incentive a socialização mesmo à distância

A socialização, conforme mencionado, é um item importante que não deve ser ignorado. Como forma de manter a descontração e o entretenimento entre os membros da equipe crie canais específicos para isso. Ter um grupo no WhatsApp para trocar dicas de séries e servir como o espaço do café do escritório é uma ótima ideia. Fazer happy hours periódicos via Zoom também é uma forma descontraída de manter o time em contato, mesmo à distância. 

 Fazer a gestão de equipe na advocacia remota é um desafio novo que muitos sócios e gestores jamais pensaram. Porém, isso não significa que é algo impossível. O mercado jurídico vem passando por inúmeras transformações e abre espaço para inovação e ações estratégicas. Vale a pena abraçar esse novo cenário visando melhores resultados para o escritório. 

Você tem encontrado desafios na gestão de equipe na advocacia remota? Confira mais dicas para gestão na advocacia remota aqui no nosso blog.

*Artigo escrito em coautoria com Helga Lutzoff Bevilacqua

gestão de equipe na advocacia remota
Créditos: Rebrand Cities / Pexels

DEIXE UMA RESPOSTA