Novo sistema de reconhecimento facial da PF é considerado “preocupante” e até ilícito

Sistemas Eletrônicos
Créditos: Be-Art / iStock

De acordo com a ong Data Privacy Brasil, o Abis – Solução Automatizada de Identificação Biométrica, sistema de reconhecimento facial e biométrico recentemente adquirido pela Policia Federal (PF), se não for usado estritamente para investigações em curso, pode ser “preocupante” e “ilícito”.

Em entrevista ao UOL, o diretor da Data Privacy Brasil, Rafael Zanatta, se mostrou preocupado com o novo sistema, por, segundo ele, não estar claro se a ferramenta será usada apenas para a investigação de crimes.

O programa serve para criar uma base nacional que facilite a busca por suspeitos e foragidos da Justiça. Ele será capaz de cruzar dados biométricos, como impressões digitais e imagens de câmeras de reconhecimento facial, de 50 milhões de brasileiros nos próximos 48 meses.

O Abis vai substituir o Afis (Sistema Automatizado de Identificação de Impressões Digitais), que é usado pela PF há mais de 15 anos para diversos fins, como investigação de crimes e a busca por pessoas desaparecidas. Com a migração dos dados do Afis, o Abis já chega abastecido com 22,2 milhões de digitais, tendo como limite o número de 50,2 milhões de pessoas cadastradas. Ao atingir esse limite, o Abis poderá ser expandido, podendo chegar a até 200 milhões de cadastros.

Em todo o mundo existe o temor do fortalecimento de sistemas autoritários com ajuda desses sistemas. Zanatta lembra que, no Brasil, inteligência e segurança pública são feitos sob o mesmo ministério (Ministério da Justiça e Segurança Pública), e defende que é fundamental que o acesso ao sistema e a possibilidade de cruzar dados como biometria e reconhecimento facial seja exclusivo para investigações que já estão em curso.

Segundo ele, o acesso de órgãos como a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) ao Abis seria algo ilícito, já que poderia, por exemplo, facilitar a identificação e repressão de opositores do governo. Para o Data Privacy Brasil, antes de colocado em uso, as diretrizes para uso do sistema devem ser delimitadas.

Com informações do UOL.


Fique por dentro de tudo que acontece no mundo jurídico no Portal Juristas, siga nas redes sociais: FacebookTwitterInstagram e Linkedin. Participe de nossos grupos no Telegram e WhatsApp. Adquira sua certificação digital e-CPF e e-CNPJ na com a Juristas Certificação Digital, entre em contato conosco por email ou pelo WhatsApp (83) 9

DEIXE UMA RESPOSTA