Festa do divórcio cresce e passa a ganhar destaque no Brasil

Data:

Festa do divórcio cresce e passa a ganhar destaque no Brasil | Juristas
Rodrigo Carvalho de Santana Pinho. Advogado

Em fevereiro de 2024, uma britânica ficou conhecida na Internet por ter realizado uma festança no valor de R$ 1,3 milhão para comemorar o seu divórcio. A festa custou cerca de 250 mil euros e foi com o dinheiro da primeira pensão alimentícia recebida por ela.

Segundo especialistas, esse tipo de comemoração tem ganhado força devido aos novos olhares acerca do divórcio, que tem sido visto contrário à ideia de fracasso, uma vez que é enxergada a perspectiva da qualidade do relacionamento.

E no Brasil

No Brasil, um casal do Ceará ganhou notoriedade ao publicar um vídeo comemorando o divórcio em Fortaleza. Por parte da mulher, a comemoração foi complementada em um bar, com direito a convite e bolo personalizado.

Para profissionais da área da psicologia, a celebração é um reflexo de enxergar a separação como algo que leva em consideração o bem-estar e a saúde, afastando a ideia de fracasso.

Desse modo, já está aberto um novo caminho de que não é preciso ficar numa relação ruim, abusiva, eternamente. Essa liberdade, esse individualismo cultural traz isso para todos os tipos de relações, de que não não há uma obrigatoriedade para ficar para sempre ligado a uma determinada pessoa.

Número de divórcios aumentou

O Brasil registrou 386,8 mil divórcios em 2021, número 16,8% maior em relação ao ano anterior. É o que revela um levantamento recentemente divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE.

Naquele ano, foram 932.502 matrimônios e 386.813 separações, ou seja, 1 divórcio para cada 3 casamentos. A taxa de nupcialidade – número de uniões a cada mil habitantes em idade de casar, 15 anos ou mais – saiu de 12,2, em 1980, para 5,5 no ano mais recente do levantamento.

Já a taxa geral de divórcios – número de descasamentos a cada mil habitantes com 20 anos ou mais – foi de 2,49 em 2021, enquanto, nos anos 80, estava abaixo de 0,5. Em média, o matrimônio durou 13,6 anos nos casos de divórcio.

Ainda conforme a entidade, a proporção de separações é maior entre os casais com filhos menores de idade – 48,5% dos divórcios. O crescimento equivale a 5,5 pontos percentuais em relação a 2010.

O IBGE também registrou um aumento significativo do percentual de guarda compartilhada em divórcios judiciais entre casais com filhos menores de idade. Enquanto em 2014, a guarda compartilhada era opção de apenas 7,5% dos casais divorciados, em 2021 o número subiu para 34,5%.


Você sabia que o Portal Juristas está no FacebookTwitterInstagramTelegramWhatsAppGoogle News e Linkedin? Siga-nos!

Rodrigo Carvalho de Santana Pinho
Rodrigo Carvalho de Santana Pinho
Advogado na RR Advocacia & Consultoria, pós-graduado em Direito Digital e Proteção de Dados pelo IDP, compliance em Proteção de Dados pela LEC/FGV e MBA em Gestão e Planejamento Tributário pela UNI7.

Deixe um comentário

Compartilhe

Inscreva-se

Últimas

Recentes
Veja Mais

A Influência da Identidade Visual na Força da Marca

A Influência da Identidade Visual na Força da Marca Definição...

Marcas Notoriamente Conhecidas: Proteção e Exemplos no Brasil

No mundo dos negócios, algumas marcas alcançam um nível de reconhecimento tão alto que se tornam notoriamente conhecidas. Essas marcas gozam de uma proteção especial, mesmo que não estejam registradas em todas as classes de produtos ou serviços. Este artigo aborda o conceito de marcas notoriamente conhecidas, a proteção legal conferida a elas no Brasil e exemplos de marcas que se enquadram nessa categoria.

A Evolução das Marcas ao Longo do Tempo: De Símbolos Antigos à Era Digital

A Evolução das Marcas ao Longo do Tempo: De...

A Importância do Uso Contínuo da Marca e as Consequências do Desuso

Manter o uso contínuo de uma marca é essencial para preservar seus direitos legais e valor de mercado. O desuso pode levar a consequências graves, incluindo a perda de direitos sobre a marca. Este artigo explora a importância do uso contínuo e as consequências do desuso.