Google é multado por violar lei russa sobre armazenamento de dados

Data:

Google é investigado por comissária da UE por práticas anticompetitivas
Créditos: ymgerman | iStock

A Justiça da Rússia multou na quinta-feira (16) o Google em 15 milhões de rublos (cerca de R$ 1,3 milhões) por se recusar repetidamente a aceitar termos que poderiam violar a privacidade de seus usuários ao armazenar dados de usuários em servidores localizados no país, conforme exigido pela legislação nacional. A informação é da agência de notícias russa "Interfax"

O Roskomnadzor, órgão regulador de comunicações da Rússia, informou que cerca de 600 empresas estrangeiras com atuação na Rússia, incluindo Apple, Microsoft e Samsung, cumprem atualmente as exigências da legislação para armazenar dados locais em servidores russos.

Google será investigada por cinquenta estados e territórios dos EUA
Créditos: inbj | iStock

As empresas ou serviços que se recusarem a cumprir esta exigência poderão enfrentar o destino da rede social LinkedIn, que foi bloqueada em 2016, a pedido do Roskomnadzor.

A Justiça russa já havia multado o Google em outras ocasiões sob a alegação de publicar "informações falsas" sobre a guerra na Ucrânia, em particular notícias sobre o número de vítimas civis em zonas de combate.

Com informações do UOL.


Fique por dentro de tudo que acontece no mundo jurídico no Portal Juristas, siga nas redes sociais: FacebookTwitterInstagram e Linkedin. Adquira seu registro digital e-CPF e e-CNPJ na com a Juristas Certificação Digital, entre em contato conosco por e-mail ou pelo WhatsApp (83) 9 93826000.

Ricardo Krusty
Ricardo Krusty
Comunicador social com formação em jornalismo e radialismo, pós-graduado em cinema pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Deixe um comentário

Compartilhe

Inscreva-se

Últimas

Recentes
Veja Mais

Empresa de fotos e vídeos condenada por falha em filmagem de casamento

A 13ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) confirmou a decisão da Comarca de Lavras que responsabilizou uma empresa de fotografia e vídeo a pagar R$ 10 mil por danos morais e R$ 1,4 mil por danos materiais a uma noiva, devido a falhas na filmagem de seu casamento.

Homem trans será indenizado por não ter nome social reconhecido em registro bancário

A 18ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) alterou uma decisão inicial e determinou que um banco indenize um homem trans em R$ 10 mil por danos morais devido ao não reconhecimento do seu nome social nos registros bancários.

Justiça condena hospital, plano de saúde e médico a indenizar paciente por erro em cirurgia

A 14ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) confirmou uma decisão da Comarca de Belo Horizonte que responsabiliza um hospital, um médico anestesista e um plano de saúde pelo pagamento de indenizações à uma paciente, totalizando R$ 200 mil, divididos igualmente entre danos morais e estéticos.

TJ mineiro mantém condenação de motorista que atropelou idoso

A 18ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) confirmou uma decisão da Comarca de Monte Belo, no Sul de Minas, condenando um motorista a pagar R$ 100 mil por danos morais à esposa de um idoso que faleceu em um acidente de trânsito.