Samsung considera estender Galaxy AI para modelos anteriores

Data:

contrato de telefonia
Créditos: Pinkypills / iStock

Recentemente, a Samsung lançou a linha S24, que inclui o Galaxy AI e a nova interface One UI 6.1. No entanto, a empresa havia confirmado que os recursos de inteligência artificial estariam disponíveis apenas para smartphones de 2023 em diante, deixando de fora modelos anteriores, como a família S22.

No entanto, o CEO Global de Mobile da Samsung, TM Roh, indicou uma possível mudança de planos. Em um encontro com acionistas nesta quarta-feira (20), Roh afirmou que a empresa está considerando levar o Galaxy AI também para celulares mais antigos, embora com algumas limitações devido às diferenças de hardware.

Embora não tenha fornecido detalhes específicos, Roh destacou que o Galaxy AI utiliza inteligência artificial baseada em nuvem e local, o que pode afetar seu desempenho em dispositivos mais antigos.

Samsung
Logo - Samsung

Embora a declaração do executivo não constitua uma confirmação oficial, sugere que a Samsung está avaliando internamente a viabilidade de implementar o Galaxy AI em mais dispositivos da marca.

Quais dispositivos Samsung receberão o Galaxy AI?

Até o momento, a Samsung confirmou que modelos lançados até o final de 2022 não receberão os recursos de IA. A lista inclui:

  • Galaxy S22, S22+ e S22 Ultra;
  • Galaxy A54 e A34;
  • Galaxy Z Fold 4 e Z Flip 4;
  • Galaxy S21, S21+, S21 Ultra e S21 FE.

Por outro lado, dispositivos fabricados e lançados a partir de 2023 estão programados para receber o sistema de inteligência artificial da Samsung. Entre esses dispositivos estão:

  • Galaxy S23, S23+, S23 Ultra;
  • Linha Z Flip 5;
  • Linha Z Fold 5.

O que é o Galaxy AI?

O Galaxy AI é um conjunto de ferramentas de inteligência artificial exclusivas para celulares Samsung. Lançado com a linha Galaxy S24, o Galaxy AI visa facilitar a comunicação dos usuários, oferecendo recursos como tradução simultânea de chamadas de voz, intérprete virtual e chat inteligente que sugere mensagens. Além disso, a ferramenta inclui recursos inteligentes para aprimorar a edição de imagens.

Com informações do Olhar Digital.


Você sabia que o Portal Juristas está no FacebookTwitterInstagramTelegramWhatsAppGoogle News e Linkedin? Siga-nos!

Notícias, modelos de petição e de documentos, artigos, colunas, entrevistas e muito mais: tenha tudo isso na palma da sua mão, entrando em nossa comunidade gratuita no WhatsApp.

Basta clicar aqui: https://bit.ly/zapjuristas

Ricardo Krusty
Ricardo Krusty
Comunicador social com formação em jornalismo e radialismo, pós-graduado em cinema pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Deixe um comentário

Compartilhe

Inscreva-se

Últimas

Recentes
Veja Mais

TJSP invalida venda de empresa por inclusão de crédito do qual não é titular

A 1ª Câmara Reservada de Direito Empresarial do Tribunal de Justiça de São Paulo, em julgamento estendido, declarou a invalidade da venda de uma empresa que incluía no preço final valores de precatórios dos quais não era titular, caracterizando uma operação de crédito a non domino.

Mantida multa de empresa que vendia produtos fora do prazo de validade

A 13ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) confirmou a decisão da Vara de Viradouro, proferida pela juíza Débora Cristina Fernandes Ananias Alves Ferreira, que negou o pedido de anulação de uma multa aplicada pelo Procon a um estabelecimento comercial. O local foi multado em R$ 20,6 mil por vender produtos fora do prazo de validade.

Plano de saúde custeará exame genético para tratamento de síndrome

A 9ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) manteve a decisão da 10ª Vara Cível de Campinas, proferida pelo juiz André Pereira de Souza, que determinou que uma operadora de plano de saúde deve autorizar e custear a avaliação genética com pesquisa etiológica para um beneficiário portador da Síndrome de West.

Mantida condenação de mulher por estelionato

A 8ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo manteve a decisão da 21ª Vara Criminal da Capital, proferida pela juíza Luciane Jabur Mouchaloite Figueiredo, que condenou uma mulher por estelionato. A pena foi fixada em dois anos e seis meses de reclusão em regime semiaberto.