Desembargador é aposentado compulsoriamente por falta de decoro e comportamento antiético

aposentado compulsoriamente por falta de decoro
Créditos: Gecko Photos | iStock

O desembargador Eduardo Mattos Gallo Júnior foi condenado à aposentadoria compulsória pelo Órgão Especial do TJSC por comportamentos antiéticos e que violam o decoro. O magistrado respondia por quatro infrações, que incluíam violência doméstica, propina e assessoria jurídica de partes.

O relator da matéria abordou todos os acontecimentos atribuídos à Gallo e concluiu pela plena máxima, o que foi acompanhado por outros 16 desembargadores. Na conclusão, entenderam que Eduardo não poderia manter sua função de julgador por não ter mais a confiança da sociedade.

O magistrado já estava afastado do cargo nos últimos 6 meses, aguardando a conclusão do processo. Mas o julgamento do TJSC não encerra a questão, uma vez que, caso o Ministério Público entenda que os fatos constituem ilícitos penais. (Com informações do Migalhas.)

DEIXE UMA RESPOSTA