Acadêmicos do Grande Rio é alvo de operação policial contra lavagem de dinheiro

Os integrantes da escola de samba Acadêmicos do Grande Rio, em Duque de Caxias, são alvos de 11 mandados de busca e apreensão cumpridos por policiais civis hoje, dia 06 de novembro.

escola de samba
Créditos: Fernando Quevedo | iStock

Juntamente com o MP-RJ, investigam um grupo suspeito de exploração ilegal de jogos na região e lavagem de dinheiro.

A Polícia Civil afirmou que há 5 suspeitos, dentre eles o presidente de honra da Grande Rio, Antônio Jaider Soares da Silva. A busca e apreensão é somente uma das medidas, uma vez que haverá bloqueio e sequestro de bens dos investigados no valor de R$ 20 milhões, buscas na quadra da escola e no seu barracão na Cidade do Samba.

As investigações apontam Antônio Jaider como chefe da organização criminosa, responsável pelo controle da exploração de jogos de azar em Duque de Caxias. Seu filho Yuri Soares Reis, e seu sobrinho, Leandro Jaider Soares da Silva, também são investigados como braços operacionais da quadrilha e são sócios de uma empresa com Antônio.

As operações nas contas bancárias da empresa e da escola de samba são de responsabilidade de Dagoberto Alves Lourenço, que também é investigado e citado como homem de confiança de Antônio e Leandro Jaider. Paulo Henrique Melo Rufino é laranja do grupo e responsável pela lavagem de capitais.

A polícia constatou a existência de várias operações financeiras suspeitas acima de R$ 100 mil em dinheiro envolvendo os suspeitos. No mesmo sentido, identificaram uma série de operações imobiliárias, “configurando a prática da lavagem de capitais com a prática da mescla de ativos ilícitos com atividades econômicas exercidas pelos investigados, além de dissimulação de propriedade de imóveis por meio de pessoas interpostas [laranjas] e de instituições financeiras para dissimular a movimentação, origem e propriedade de recursos ilícitos”. (Com informações da Agência Brasil EBC.)