Responsável por igreja em Sombrio é condenado por poluição sonora

78
Créditos: Bet_Noire | iStock O juízo da comarca de Sombrio (SC) condenou um pastor, responsável legal de uma igreja, a 1 ano e 8 meses de prestação de serviços à comunidade ou a entidades públicas, e à prestação pecuniária de um salário mínimo pelo crime de poluição sonora. Nos dias de atividade religiosa, ocorria excesso de ruídos, uma vez que a igreja em que ele pregava foi construída em local predominantemente urbano. O templo não possuía isolamento acústico apropriado. A emissão de sons extrapolavam os limites estabelecidos, em níveis prejudiciais à saúde humana, ao sossego público e à segurança no entorno. A Polícia Militar Ambiental e o Instituto Geral de Perícias de Santa Catarina realizou a medição dos ruídos e constatou excessos no local. Notícia produzida com informações do Tribunal de Justiça de Santa Catarina.

Este conteúdo é restrito para usuários cadastrados do site e é GRÁTIS. Cadastre-se GRATUITAMENTE e tenha acesso já ao conteúdo. Se já for cadastrado, faça o login. Para novos usuários basta preencher o cadastro.

Login de usuários cadastrados