Justiça paulista obriga testemunha de Jeová a receber transfusão de sangue

testemunhas de jeová
Créditos: vladm | iStock

A Justiça paulista autorizou o Hospital Unimed de Piracicaba a realizar uma transfusão de sangue em uma paciente que se recusava a receber o tratamento por convicções religiosas. A professora J.P., de 58 anos, foi internada em julho com um quadro de hemorragia digestiva, por seguir os preceitos religiosos das Testemunhas de Jeová, não aceitou o tratamento. A informação é do UOL.

Os médicos entenderam ser necessário realizar uma endoscopia para investigar a localização da hemorragia, mas, por se tratar de um exame invasivo, queriam submetê-la a uma transfusão de sangue para a estabilização do quadro clínico.

Justiça paulista obriga testemunha de Jeová a receber transfusão de sangue | Juristas
Créditos: Africa Studio/Shutterstock.com

O hospital recorreu à Justiça alegando que a professora corria risco de morte por estar em choque hemorrágico. “O hospital tem o dever de preservar a vida da paciente”, afirmou no processo.

O juiz Lourenço Carmelo Tôrres concedeu uma tutela de urgência autorizando a Unimed a adotar todos os procedimentos médicos necessários para a preservação da vida da professora, “ainda que contra a vontade dela”. “A escusa religiosa não pode se sobrepor ao direito à vida”, declarou o magistrado na sentença. Com base na decisão, os médicos sedaram J.P. e a transfusão de sangue foi realizada.

Com informações do UOL.


Fique por dentro de tudo que acontece no mundo jurídico no Portal Juristas, siga nas redes sociais: FacebookTwitterInstagram e Linkedin. Participe de nossos grupos no Telegram e WhatsApp. Adquira sua certificação digital e-CPF e e-CNPJ na com a Juristas Certificação Digital, entre em contato conosco por email ou pelo WhatsApp (83) 9 93826000

1 COMENTÁRIO

  1. Não entendo porque forçaram a mulher a receber transfusão de sangue. Isso não é crime no Brasil? Na maioria dos países democráticos, obrigar alguém a receber uma transfusão de sangue é crime! Aqui em Portugal existe um documento legal chamado “Testamento Vital” que permite a qualquer cidadão recusar transfusões de sangue. A autodeterminação é um direito!

DEIXE UMA RESPOSTA