A 3ª Turma do STJ reconhece cerceamento de defesa em ação monitória

Data:

Superior Tribunal de Justiça - STJ
Créditos: diegograndi / Depositphotos

A Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) reconheceu que ocorre cerceamento de defesa quando uma ação monitória é extinta sob o fundamento de insuficiência da prova escrita, mesmo após o autor solicitar a produção de perícia após a oposição de embargos monitórios.

Segundo a relatora, ministra Nancy Andrighi, a apresentação de embargos pelo réu transforma o rito monitório em rito comum, permitindo que todas as questões relativas à dívida debatida na ação sejam discutidas, incluindo a oportunidade para ampla produção de provas, especialmente a realização de perícia.

Nancy Adringhi
Créditos: Reprodução do Youtube do Superior Tribunal de Justiça (STJ)

O caso em questão envolveu uma empresa do ramo de elevadores que buscou cobrar uma dívida de quase R$ 9 milhões referente a serviços e materiais não pagos na reforma do aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP). A concessionária do aeroporto alegou, em embargos, que nem todos os equipamentos contratados foram entregues.

A fornecedora solicitou a realização de perícia para verificar o cumprimento do contrato, mas o juízo de primeira instância acolheu os embargos e julgou a ação monitória improcedente, alegando que os documentos apresentados não eram suficientes para o uso desse procedimento.

O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) extinguiu a ação com base na incompatibilidade da necessidade de produção de provas com o procedimento monitório.

A ministra Nancy Andrighi explicou que, quando o procedimento monitório é convertido em comum pela oposição dos embargos, todas as questões sobre a dívida podem ser debatidas, permitindo um julgamento completo e definitivo sobre o direito do autor.

Ela ressaltou que, em casos como esse, no qual a produção probatória foi solicitada pela parte autora após a oposição dos embargos monitórios, é necessário conferir amplo direito de provas ao autor, sendo injustificável a extinçãodo processo por insuficiência da prova escrita, caracterizando cerceamento de defesa.

"Acrescente-se que infringe os princípios da instrumentalidade das formas, da razoável duração do processo e da primazia do julgamento de mérito extinguir a ação monitória para exigir que a parte autora ingresse com nova ação de conhecimento com idêntica pretensão", concluiu.

Com esse entendimento, a Terceira Turma determinou o retorno do processo ao primeiro grau, para que seja dada às partes a oportunidade de produzir suas provas, observadas as normas do procedimento comum.

Com informações do Superior Tribunal de Justiça (STJ).


Você sabia que o Portal Juristas está no FacebookTwitterInstagramTelegramWhatsAppGoogle News e Linkedin? Siga-nos!

Ricardo Krusty
Ricardo Krusty
Comunicador social com formação em jornalismo e radialismo, pós-graduado em cinema pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Deixe um comentário

Compartilhe

Inscreva-se

Últimas

Recentes
Veja Mais

A Influência da Identidade Visual na Força da Marca

A Influência da Identidade Visual na Força da Marca Definição...

Marcas Notoriamente Conhecidas: Proteção e Exemplos no Brasil

No mundo dos negócios, algumas marcas alcançam um nível de reconhecimento tão alto que se tornam notoriamente conhecidas. Essas marcas gozam de uma proteção especial, mesmo que não estejam registradas em todas as classes de produtos ou serviços. Este artigo aborda o conceito de marcas notoriamente conhecidas, a proteção legal conferida a elas no Brasil e exemplos de marcas que se enquadram nessa categoria.

Modelo de recurso contra multa por não obedecer à sinalização de trânsito

Modelo para recurso contra multa por não obedecer à...

TJSP invalida venda de empresa por inclusão de crédito do qual não é titular

A 1ª Câmara Reservada de Direito Empresarial do Tribunal de Justiça de São Paulo, em julgamento estendido, declarou a invalidade da venda de uma empresa que incluía no preço final valores de precatórios dos quais não era titular, caracterizando uma operação de crédito a non domino.