Serp-Jud: Judiciário começa a utilizar plataforma de registros públicos a partir de março

Data:

Certificado Digital
Créditos: AndreyPopov / iStock

O Sistema Eletrônico dos Registros Públicos (Serp), versão destinada ao Poder Judiciário (Serp-Jud), será lançado em março, permitindo que os tribunais acessem os serviços prestados pelos cartórios de registros públicos de forma unificada. Com essa plataforma, será possível realizar funções eletrônicas como busca, pedido de certidões, mandados judiciais e histórico de pedidos nos cartórios.

O Serp tem como objetivo simplificar e modernizar o acesso dos cidadãos aos serviços extrajudiciais oferecidos pelos cartórios, viabilizando o atendimento remoto pela internet. Para o Judiciário, a plataforma permitirá consultar bens móveis e imóveis, decretar indisponibilidade, penhora e outras constrições, além de verificar restrições e gravames sobre esses bens.

Serp-Jud: Judiciário começa a utilizar plataforma de registros públicos a partir de março | Juristas
O ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Luis Felipe Salomão, no Centro Integrado de Comando e Controle das Eleições Gerais de 2018 (CICCE), em Brasília.

O corregedor nacional de Justiça, ministro Luis Felipe Salomão, reuniu-se com os presidentes dos operadores nacionais dos registros públicos para acompanhar os ajustes finais na plataforma. Durante a reunião, foram demonstrados os serviços disponíveis no Serp-Jud, que incluem certidão digital, visualização de matrícula, pesquisa prévia, e-Protocolo e penhora online nos cartórios de registros de imóveis.

O novo sistema eletrônico dos registros públicos busca desburocratizar o acesso, gerando eficiência e segurança. A juíza auxiliar da Corregedoria Nacional de Justiça, Carolina Ranzolin, comentou que o Serp irá trazer benefícios ao sistema, enquanto as juízas auxiliares da Corregedoria Nacional de Justiça, Carolina Ranzolin e Liz Rezende de Andrade, coordenam o grupo de trabalho responsável pelo planejamento e implantação do Serp.

O Serp, estabelecido pela Lei n. 14.382/2022, funcionará sob a gestão do Comitê Executivo de Gestão do ONSERP, composto pelos presidentes dos operadores nacionais de registros públicos, e será orientado e fiscalizado pela Corregedoria Nacional de Justiça.

Com informações do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).


Você sabia que o Portal Juristas está no FacebookTwitterInstagramTelegramWhatsAppGoogle News e Linkedin? Siga-nos!

Ricardo Krusty
Ricardo Krusty
Comunicador social com formação em jornalismo e radialismo, pós-graduado em cinema pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Deixe um comentário

Compartilhe

Inscreva-se

Últimas

Recentes
Veja Mais

Modelo de recurso contra multa por não obedecer à sinalização de trânsito

Modelo para recurso contra multa por não obedecer à...

TJSP invalida venda de empresa por inclusão de crédito do qual não é titular

A 1ª Câmara Reservada de Direito Empresarial do Tribunal de Justiça de São Paulo, em julgamento estendido, declarou a invalidade da venda de uma empresa que incluía no preço final valores de precatórios dos quais não era titular, caracterizando uma operação de crédito a non domino.

Mantida multa de empresa que vendia produtos fora do prazo de validade

A 13ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) confirmou a decisão da Vara de Viradouro, proferida pela juíza Débora Cristina Fernandes Ananias Alves Ferreira, que negou o pedido de anulação de uma multa aplicada pelo Procon a um estabelecimento comercial. O local foi multado em R$ 20,6 mil por vender produtos fora do prazo de validade.

Plano de saúde custeará exame genético para tratamento de síndrome

A 9ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) manteve a decisão da 10ª Vara Cível de Campinas, proferida pelo juiz André Pereira de Souza, que determinou que uma operadora de plano de saúde deve autorizar e custear a avaliação genética com pesquisa etiológica para um beneficiário portador da Síndrome de West.