Barroso se posiciona contra PEC do voto monocrático que limita decisões do STF

Data:

Eleições Municipais - Luís Roberto Barroso
Créditos: Reprodução do Youtube - SBT Jornalismo

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, expressou sua discordância em relação à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 8/21, conhecida como PEC do Voto Monocrático. A PEC, aprovada rapidamente na Comissão de Constituição, Cidadania e Justiça (CCJ) do Senado, busca limitar as decisões de tribunais superiores, mas Barroso argumenta que o STF desempenhou um papel fundamental na proteção da democracia brasileira e não é o momento de restringir seu papel.

Barroso compreende a natureza dos debates públicos no Congresso, mas enfatiza que o STF tem sido um guardião da democracia desde a redemocratização do Brasil e que suas ações foram particularmente cruciais em tempos de extremismos políticos.

O presidente do STF acredita que, dada a atual situação política do país, é fundamental manter o papel da Alta Corte como defensora da democracia e dos direitos fundamentais dos cidadãos.

STF / Ministro Marco Aurélio / Gilmar Mendes / Ricardo Lewandowski / Nunes Marques /
Sessão solene de posse do novo ministro da Corte, Cristiano Zanin, no Supremo Tribunal Federal (STF). Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

“[O STF] foi um bom guardião da Constituição contra o autoritarismo e contra as posições extremistas. O STF é passível de críticas como qualquer instituição democrática, mas em uma instituição que vem trabalhando bem, eu não vejo razão para que haja modificações no funcionamento do STF”, disse o presidente.

A PEC, de autoria do senador Oriovisto Guimarães (Podemos-PR), representa uma resposta do Senado alegando "invasões de competência" por parte do Supremo Tribunal Federal (STF), especialmente em questões relacionadas a temas sociais, como a legalização da maconha e do aborto, bem como em questões políticas alinhadas ao governo, como a cobrança do imposto sindical e a rejeição do marco temporal para terras indígenas.

A estratégia do Senado visa evitar que decisões tomadas por um único juiz do STF tenham um impacto significativo sobre as ações previamente estabelecidas pelo Congresso Nacional. O objetivo é restringir decisões individuais de magistrados do STF e dar prioridade às decisões do colegiado da Corte.

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), enfatizou a importância de o Supremo Tribunal Federal (STF) respeitar os limites estabelecidos pela Constituição. Ele argumentou que é necessário delimitar claramente o campo de atuação de cada um dos Poderes. Essa declaração foi feita durante a abertura de um evento em comemoração aos 35 anos da promulgação da Constituição.

Por outro lado, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), tem defendido a ideia de estabelecer mandatos para os ministros do STF. Ele mencionou que esse assunto pode ser debatido no Senado após a nomeação do substituto da ministra Rosa Weber, que recentemente se aposentou do STF.

Com informações do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4).


Você sabia que o Portal Juristas está no FacebookTwitterInstagramTelegramWhatsAppGoogle News e Linkedin? Siga-nos!

Ricardo Krusty
Ricardo Krusty
Comunicador social com formação em jornalismo e radialismo, pós-graduado em cinema pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Deixe um comentário

Compartilhe

Inscreva-se

Últimas

Recentes
Veja Mais

5ª Edição do International Insolvency Law Conference: um encontro de destaques no campo jurídico internacional

Estão oficialmente abertas as inscrições para a 5ª Edição do International Insolvency Law Conference, um evento imperdível que reunirá profissionais e pesquisadores de destaque no campo da insolvência empresarial. Marcado para os dias 7 e 9 de março, este congresso promete ser um ponto de convergência para diálogos significativos e análises profundas sobre temas cruciais relacionados à recuperação judicial, recuperação extrajudicial e falência, tanto em âmbito nacional quanto internacional.

Dono de imóvel no RN será indenizado por concessionária de energia após danos causados em imóvel após troca de poste

A Companhia Energética do Rio Grande do Norte (Cosern) e uma empresa contratada por esta foram condenadas a indenizar um consumidor em R$ 25 mil por danos materiais causados durante a troca de postes no município de Caicó-RN. A decisão da 2ª Vara da comarca também determinou o pagamento de R$ 10 mil por danos morais ao proprietário do imóvel, com juros e correção monetária, pela concessionária de energia. Além disso, foi autorizado o levantamento de R$ 2.700,00 em aluguéis.

Procon-SP notifica Uber para explicar política de preços

O Procon-SP emitiu uma notificação nesta sexta-feira (23) para o aplicativo de transporte Uber, solicitando explicações sobre sua política de preços, conhecida como tarifa dinâmica. Nesse sistema, o valor das corridas pode variar com base na demanda, o que pode impactar especialmente em dias com problemas no transporte público, como interrupções no metrô.

UFSC não é responsável por furto de veículo em estacionamento público, decide justiça

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) não será obrigada a indenizar uma ex-funcionária do Hospital Universitário (HU) pelo furto de seu veículo em um estacionamento do campus aberto ao público. A decisão foi tomada pela 5ª Vara Federal de Blumenau, que considerou que, como o local do furto era de acesso público e gratuito, a universidade não tinha o dever de vigilância.