Justiça define processo da Fifa contra a Globo e sela destino da Copa do Mundo na TV aberta

Data:

luciano huck, fausto Silva e Rede Globo recebem representação no TSE
Créditos: Labrador Photo Video / Shutterstock.com

A 6ª Vara Empresarial do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ) decidiu arquivar o processo movido pela Fifa contra a Rede Globo pelo pagamento de 90 milhões de dólares (R$ 478 milhões na cotação atual) à entidade. A emissora de televisão já havia vencido em segunda instância em novembro de 2020.

O contrato é referente ao período entre 2015 e 2022 e abrange diversos torneios de seleções da entidade. Com o resultado na Justiça, a Globo e a Fifa decidiram entrar em um acordo e a Copa do Mundo do Qatar, em 2022, segue garantido na emissora do Rio de Janeiro.

rede globo
Créditos: Reprodução | Rede Globo

A Globo deixou de pagar o valor logo no inicio da pandemia alegando que o valor fugia do momento vivido atualmente. A emissora de TV também argumentou que teve prejuízo com a falta de realização dos eventos previstos pelo contrato. A Fifa tentou, mas não conseguiu derrubar inicialmente a medida com uma liminar de emergência em setembro.

A entidade recorreu e esperou o julgamento na segunda instância. O caso foi para o plenário, e por unanimidade, os desembargadores da 6ª Vara Empresarial do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ), deram novamente razão ao grupo brasileiro.

Com informações do UOL.


Fique por dentro de tudo que acontece no mundo jurídico no Portal Juristas, siga nas redes sociais: FacebookTwitterInstagram e Linkedin. Adquira sua certificação digital e-CPF e e-CNPJ na com a Juristas Certificação Digital, entre em contato conosco por email ou pelo WhatsApp (83) 9 93826000

Ricardo Krusty
Ricardo Krusty
Comunicador social com formação em jornalismo e radialismo, pós-graduado em cinema pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

1 COMENTÁRIO

Deixe um comentário

Compartilhe

Inscreva-se

Últimas

Recentes
Veja Mais

Modelo de recurso contra multa por não obedecer à sinalização de trânsito

Modelo para recurso contra multa por não obedecer à...

TJSP invalida venda de empresa por inclusão de crédito do qual não é titular

A 1ª Câmara Reservada de Direito Empresarial do Tribunal de Justiça de São Paulo, em julgamento estendido, declarou a invalidade da venda de uma empresa que incluía no preço final valores de precatórios dos quais não era titular, caracterizando uma operação de crédito a non domino.

Mantida multa de empresa que vendia produtos fora do prazo de validade

A 13ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) confirmou a decisão da Vara de Viradouro, proferida pela juíza Débora Cristina Fernandes Ananias Alves Ferreira, que negou o pedido de anulação de uma multa aplicada pelo Procon a um estabelecimento comercial. O local foi multado em R$ 20,6 mil por vender produtos fora do prazo de validade.

Plano de saúde custeará exame genético para tratamento de síndrome

A 9ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) manteve a decisão da 10ª Vara Cível de Campinas, proferida pelo juiz André Pereira de Souza, que determinou que uma operadora de plano de saúde deve autorizar e custear a avaliação genética com pesquisa etiológica para um beneficiário portador da Síndrome de West.