Estelionatário condenado a ressarcir idosa por "golpe do bilhete premiado"

Data:

modelo de petição
Créditos: Wavebreakmedia | iStock

Uma idosa de 69 anos se tornou mais uma vítima do "golpe do bilhete premiado", resultando em um prejuízo de R$ 70 mil para a família. No entanto, ao menos um dos estelionatários envolvidos no esquema foi identificado e condenado em um processo que tramitou na 1ª Vara Criminal da comarca de Joinville.

O golpe foi elaborado de maneira ardilosa, envolvendo o réu e um cúmplice ainda não localizado. O acusado se passou por um médico pediatra e abordou a vítima pedindo informações sobre um endereço.Neste momento, o cúmplice se aproximou, alegando que precisava entregar um bilhete a outra pessoa e dizendo que era analfabeto. O réu convenceu a vítima a acompanhá-los para ajudar o homem.

Empréstimo de Dinheiro
Créditos: Rangizzz / Depositphotos

O acusado então explicou que o papel que eles estavam segurando era, na verdade, um bilhete premiado da quina, no valor de R$ 2 milhões, alegando que tinha ligado para a Caixa Econômica Federal para confirmar a informação. No entanto, ele afirmou que não poderia aceitar o dinheiro devido às suas crenças religiosas, mas estava disposto a vendê-lo por R$ 500 mil. A idosa, encurralada e amedrontada, foi obrigada a fazer transferências e PIX no valor de R$ 70 mil para contas dos criminosos.

Ao chegar em casa, a vítima compartilhou o ocorrido com seus filhos, que tentaram, sem sucesso, recuperar o dinheiro transferido. O estelionatário envolvido foi identificado e condenado, resultando em um passo em direção à justiça para a família da idosa vítima do golpe do "bilhete premiado".

Justiça mantém condenação a estelionatário que desviou mais de R$ 150 mil de vítima
Créditos: Sebastian Duda / Shutterstock.com

Em juízo a mulher discorreu que realizou as transferências porque estava com medo, pois imaginou que ao realizar o pagamento, eles iriam liberá-la para ir embora com vida, pois, em suas palavras, “se eu não passasse o dinheiro, o que iria acontecer?

Com a análise das provas apresentadas, o magistrado confirmou então a condenação do réu à pena de 2 anos, 8 meses e 24 dias de reclusão, a ser cumprida inicialmente no regime fechado, ao pagamento de 29 dias-multa, e ainda ao pagamento de R$ 70.000,00 à vítima.

Com informações d Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC).


Você sabia que o Portal Juristas está no FacebookTwitterInstagramTelegramWhatsAppGoogle News e Linkedin? Siga-nos!

Ricardo Krusty
Ricardo Krusty
Comunicador social com formação em jornalismo e radialismo, pós-graduado em cinema pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Deixe um comentário

Compartilhe

Inscreva-se

Últimas

Recentes
Veja Mais

5ª Edição do International Insolvency Law Conference: um encontro de destaques no campo jurídico internacional

Estão oficialmente abertas as inscrições para a 5ª Edição do International Insolvency Law Conference, um evento imperdível que reunirá profissionais e pesquisadores de destaque no campo da insolvência empresarial. Marcado para os dias 7 e 9 de março, este congresso promete ser um ponto de convergência para diálogos significativos e análises profundas sobre temas cruciais relacionados à recuperação judicial, recuperação extrajudicial e falência, tanto em âmbito nacional quanto internacional.

Dono de imóvel no RN será indenizado por concessionária de energia após danos causados em imóvel após troca de poste

A Companhia Energética do Rio Grande do Norte (Cosern) e uma empresa contratada por esta foram condenadas a indenizar um consumidor em R$ 25 mil por danos materiais causados durante a troca de postes no município de Caicó-RN. A decisão da 2ª Vara da comarca também determinou o pagamento de R$ 10 mil por danos morais ao proprietário do imóvel, com juros e correção monetária, pela concessionária de energia. Além disso, foi autorizado o levantamento de R$ 2.700,00 em aluguéis.

Procon-SP notifica Uber para explicar política de preços

O Procon-SP emitiu uma notificação nesta sexta-feira (23) para o aplicativo de transporte Uber, solicitando explicações sobre sua política de preços, conhecida como tarifa dinâmica. Nesse sistema, o valor das corridas pode variar com base na demanda, o que pode impactar especialmente em dias com problemas no transporte público, como interrupções no metrô.

UFSC não é responsável por furto de veículo em estacionamento público, decide justiça

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) não será obrigada a indenizar uma ex-funcionária do Hospital Universitário (HU) pelo furto de seu veículo em um estacionamento do campus aberto ao público. A decisão foi tomada pela 5ª Vara Federal de Blumenau, que considerou que, como o local do furto era de acesso público e gratuito, a universidade não tinha o dever de vigilância.