STF anula reconhecimento de vínculo de emprego entre diretor de programas e SBT

Data:

tv
Créditos: Bee32 | iStock

A ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), anulou uma decisão da Justiça do Trabalho que reconhecia o vínculo de emprego entre um diretor de programas e o Sistema Brasileiro de Televisão (SBT). A decisão foi proferida em resposta à Reclamação (RCL) 63380, apresentada pelo SBT.

Na ação trabalhista (1000607-88.2021.5.02.0386), o diretor buscava o reconhecimento de seu status de empregado da TVSBT Canal 4 de São Paulo, onde exerceu a função de diretor de programas de setembro de 2010 a abril de 2021. Seu contrato tinha sido estabelecido por uma pessoa jurídica da qual ele era sócio.

luciano hang
Créditos: eldinhoid | iStock

O tribunal da Sexta Vara do Trabalho de Osasco (SP) concordou com a pretensão do diretor e condenou a empresa a pagar várias verbas trabalhistas. Essa condenação foi confirmada pelo Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (TRT2), que considerou que a prestação de serviços ocorreu sob as diretrizes da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

O SBT argumentou no STF que o diretor operou em nome da empresa da qual era sócio, ou seja, através de um contrato para prestação de serviços especializados na produção de programas de televisão. Segundo a emissora, o reconhecimento do vínculo contrariava a jurisprudência do STF que valida diferentes formas de trabalho, distintas da relação de emprego.

Cármen Lúcia Minis. STF
cármen lúcia - Ministra STF

Ao acolher o pedido do SBT, a ministra Cármen Lúcia observou que a interpretação do TRT-2 estava em desacordo com vários precedentes do STF. Um deles é a Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 324, na qual o Tribunal considerou que a terceirização das atividades-meio ou das atividades-fim de uma empresa é respaldada pelos princípios constitucionais da livre iniciativa e livre concorrência.

Ela também mencionou a Ação Declaratória de Constitucionalidade (ADC) 48, em que o STF reconheceu a validade da Lei 11.442/2007, que estabelece uma relação comercial de natureza civil entre empresas e transportadores autônomos, e a Ação Direta de Inconstitucionalidade (AD) 5625, na qual o Plenário aprovou contratos de parceria entre salões de beleza e trabalhadores autônomos.

Carmen Lucia
Créditos: Reprodução / TV Justiça

Por fim, ela referiu o julgamento da RCL 47843, no qual a Primeira Turma considerou regular a contratação de uma pessoa jurídica composta por profissionais liberais para prestar serviços na atividade principal da contratante.

O processo agora deverá retornar ao TRT2 para revisão do recurso, observando o entendimento do Supremo.

Com informações do Supremo Tribunal Federal (STF).


Você sabia que o Portal Juristas está no FacebookTwitterInstagramTelegramWhatsAppGoogle News e Linkedin? Siga-nos!

Ricardo Krusty
Ricardo Krusty
Comunicador social com formação em jornalismo e radialismo, pós-graduado em cinema pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Deixe um comentário

Compartilhe

Inscreva-se

Últimas

Recentes
Veja Mais

5ª Edição do International Insolvency Law Conference: um encontro de destaques no campo jurídico internacional

Estão oficialmente abertas as inscrições para a 5ª Edição do International Insolvency Law Conference, um evento imperdível que reunirá profissionais e pesquisadores de destaque no campo da insolvência empresarial. Marcado para os dias 7 e 9 de março, este congresso promete ser um ponto de convergência para diálogos significativos e análises profundas sobre temas cruciais relacionados à recuperação judicial, recuperação extrajudicial e falência, tanto em âmbito nacional quanto internacional.

Dono de imóvel no RN será indenizado por concessionária de energia após danos causados em imóvel após troca de poste

A Companhia Energética do Rio Grande do Norte (Cosern) e uma empresa contratada por esta foram condenadas a indenizar um consumidor em R$ 25 mil por danos materiais causados durante a troca de postes no município de Caicó-RN. A decisão da 2ª Vara da comarca também determinou o pagamento de R$ 10 mil por danos morais ao proprietário do imóvel, com juros e correção monetária, pela concessionária de energia. Além disso, foi autorizado o levantamento de R$ 2.700,00 em aluguéis.

Procon-SP notifica Uber para explicar política de preços

O Procon-SP emitiu uma notificação nesta sexta-feira (23) para o aplicativo de transporte Uber, solicitando explicações sobre sua política de preços, conhecida como tarifa dinâmica. Nesse sistema, o valor das corridas pode variar com base na demanda, o que pode impactar especialmente em dias com problemas no transporte público, como interrupções no metrô.

UFSC não é responsável por furto de veículo em estacionamento público, decide justiça

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) não será obrigada a indenizar uma ex-funcionária do Hospital Universitário (HU) pelo furto de seu veículo em um estacionamento do campus aberto ao público. A decisão foi tomada pela 5ª Vara Federal de Blumenau, que considerou que, como o local do furto era de acesso público e gratuito, a universidade não tinha o dever de vigilância.