Ministro Cristiano Zanin defende voluntariedade de inscrição na OAB para advogados públicos

Data:

Ministro Cristiano Zanin defende voluntariedade de inscrição na OAB para advogados públicos | Juristas
Brasília (DF) 21/06/2023 Advogado, Cristiano Zanin; Durante sabatina para indicado do cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF). Foto Lula Marques/ Agência Brasil.

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF), por unanimidade, teve como voto decisivo o do ministro Cristiano Zanin, relator do recurso da OAB/RO que contestava a necessidade de inscrição na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) para advogados públicos exercerem suas funções. Zanin considerou inválida essa exigência, porém, propôs que advogados públicos pudessem, de forma voluntária, se inscrever nos quadros da OAB.

O recurso em questão foi movido pela OAB/RO contra uma decisão da turma recursal do Juizado Especial da Seção Judiciária do Estado, que reconheceu o direito de advogados públicos atuarem judicialmente em nome da União sem estarem inscritos na OAB.

Em sua argumentação, Zanin ressaltou que os advogados públicos são selecionados diretamente pelo Estado através de concurso de provas e títulos, e estão sujeitos a estatutos próprios dos órgãos aos quais se vinculam, conforme previsto na Constituição Federal. Ele destacou que, embora exerçam atividades similares aos advogados privados, os advogados públicos não estão sujeitos aos mesmos regulamentos.

O ministro também mencionou que a Lei Orgânica da Advocacia-Geral da União (AGU) não estabelece a obrigatoriedade de inscrição dos advogados públicos em entidades de classe.

Conselho Federal da OAB
Créditos: diegograndi | iStock

Para os casos em que advogados públicos exerçam advocacia privada, autorizados por lei, Zanin considerou inválida a pretensão de desvinculá-los da OAB. Ele ressaltou que nesses casos os advogados estão sujeitos às regras do Estatuto da OAB, incluindo o pagamento de anuidade e fiscalização ético-disciplinar.

Zanin também defendeu a possibilidade de convênios entre órgãos de representação estatal e a OAB para o repasse de anuidades, além da integração de advogados públicos em listas da OAB para composição de tribunais, desde que de forma voluntária.

O ministro propôs a seguinte tese para o tema 936: "(i) É inconstitucional a exigência de inscrição do Advogado Público nos quadros da Ordem dos Advogados do Brasil, para o exercício das atividades inerentes ao cargo público. (ii) A inscrição de advogados públicos nos quadros da Ordem dos Advogados do Brasil poderá ocorrer de forma voluntária, individualizadamente, ou mediante ato administrativo a ser firmado entre o órgão de representação estatal e a Ordem dos Advogados do Brasil."

Com informações do Portal Migalhas.


Você sabia que o Portal Juristas está no FacebookTwitterInstagramTelegramWhatsAppGoogle News e Linkedin? Siga-nos!

Notícias, modelos de petição e de documentos, artigos, colunas, entrevistas e muito mais: tenha tudo isso na palma da sua mão, entrando em nossa comunidade gratuita no WhatsApp.

Basta clicar aqui: https://bit.ly/zapjuristas

Ricardo Krusty
Ricardo Krusty
Comunicador social com formação em jornalismo e radialismo, pós-graduado em cinema pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Deixe um comentário

Compartilhe

Inscreva-se

Últimas

Recentes
Veja Mais

Guia Completo para Obter um Visto de Trabalho em Portugal: Passo a Passo para Profissionais Internacionais

Mudar-se para Portugal é um sonho para muitos devido ao seu clima ameno, qualidade de vida elevada e rica cultura histórica. Para profissionais de fora da União Europeia, uma das vias principais para realizar esse sonho é através da obtenção de um visto de trabalho. Este guia abrangente fornece um passo a passo detalhado sobre como aplicar para um visto de trabalho em Portugal, incluindo dicas essenciais e requisitos legais.

Como funciona a obtenção de múltiplas cidadanias?

A obtenção de múltiplas cidadanias pode ocorrer de várias maneiras, dependendo das leis e regulamentos de cada país envolvido. Aqui está uma visão geral dos principais métodos pelos quais uma pessoa pode adquirir mais de uma cidadania:

Uma pessoa pode ter diversos passaportes e nacionalidades?

Sim, uma pessoa pode possuir diversos passaportes e nacionalidades, em um arranjo conhecido como dupla ou múltipla cidadania. Isso significa que ela é reconhecida como cidadã por mais de um país e pode usufruir dos direitos e benefícios associados a cada uma das suas nacionalidades.

O que é o NIF em Portugal?

O NIF (Número de Identificação Fiscal) em Portugal é um número único atribuído aos contribuintes para efeitos de tributação e outras atividades administrativas relacionadas com as finanças do Estado. Este número é essencial para a identificação dos cidadãos nas suas relações com a Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) de Portugal, bem como em diversas transações financeiras e legais no país.