Justiça condena falso médico que atendeu pacientes com covid-19 em SP

Data:

Médico Cubano
Créditos: artisteer / iStock

A Justiça de São Paulo condenou a quatro anos e um mês de prisão, Sérgio Raimundo de Oliveira Ribeiro (54), que durante seis meses trabalhou  no Hospital Irmã Dulce, na cidade de Praia Grande (SP), fingindo ser o médico Henry Cantor Bernal. Portando uma carteira falsificada do Conselho Regional de Medicina-CRM, ele Começou em novembro de 2019 como plantonista no pronto-socorro e depois passou a atuar na ala Covid do hospital.

Ribeiro se dizia neurologista do Hospital Albert Einstein. Contra ele já havia um mandado de prisão por ter trabalho numa faculdade da Bahia, passando-se ser por professor de direito.

O falso médico foi descoberto por um policial federal cuja noiva era médica no hospital. Ela desconfiou por conta da péssima conduta e da falta de conhecimento de Ribeiro. Após contato com o verdadeiro doutor Henry, o policial efetuou a prisão. Diversos erros crassos teriam sido cometidos, de acordo com a denúncia feita pelo Ministério Público.

Em seu depoimento, a médica Marina Biazi, noiva do policial federal, disse que começou a perceber que os pacientes Covid tratados por Ribeiro chegavam no setor de emergência "totalmente descompensados e em estado muito grave".

Disse que o falso médico ficava muito nervoso quando ela fazia perguntas sobre a sua conduta médica e passava a lhe fazer ataques pessoais. "Não havia cabimento em muitas das prescrições que ele fazia", afirmou Mariana. Tal situação, afirmou, se repetiu por muitos dias.

Segundo a polícia pelo menos quatro famílias de pacientes que morreram de Covid-19 afirmam que as vítimas foram atendidas pelo falso médico.

Com informações do UOL.

 

Saiba mais sobre Certificação Digital no Portal Juristas. Adquira seu certificado digital E-CPF ou E-CNPJ com a Juristas Certificação Digital. Entre em contato através de email ou pelo WhatsApp (83) 9 93826000

Ricardo Krusty
Ricardo Krusty
Comunicador social com formação em jornalismo e radialismo, pós-graduado em cinema pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Deixe um comentário

Compartilhe

Inscreva-se

Últimas

Recentes
Veja Mais

Empresa condenada por uso indevido de marca registrada

A 1ª Câmara Reservada de Direito Empresarial do Tribunal de Justiça de São Paulo determinou que uma empresa cessasse a venda de roupas que utilizavam indevidamente uma marca registrada por outra empresa do mesmo segmento.

Modelo de contrato de prestação de serviços de Personal Trainer para Triatetlas

O presente contrato tem por objeto a prestação de serviços de personal trainer especializado em treinamento para triatletas, com o objetivo de melhorar o desempenho do Contratante nas modalidades de natação, ciclismo e corrida.

Empresa de fotos e vídeos condenada por falha em filmagem de casamento

A 13ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) confirmou a decisão da Comarca de Lavras que responsabilizou uma empresa de fotografia e vídeo a pagar R$ 10 mil por danos morais e R$ 1,4 mil por danos materiais a uma noiva, devido a falhas na filmagem de seu casamento.

Homem trans será indenizado por não ter nome social reconhecido em registro bancário

A 18ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) alterou uma decisão inicial e determinou que um banco indenize um homem trans em R$ 10 mil por danos morais devido ao não reconhecimento do seu nome social nos registros bancários.