Futebol: Superliga tem vitória na Justiça contra tentativas de barrar o torneio

Data:

Figueirense Futebol Clube
Créditos: alphaspirit / iStock

Um Tribunal de Madri concedeu nesta terça-feira (20), aos 12 times europeus que criaram a Superliga Europeia de Futebol a primeira vitória judicial. A decisão protege, por enquanto, a futura competição independente europeia de represália das instâncias do futebol, como a Uefa ou a Fifa que haviam ameaçado os clubes dissidentes de exclusão.

A Federação Internacional de Futebol (Fifa) e a Federação Europeia de Futebol (Uefa) a foram intimadas a se abster de qualquer medida contra os clubes "que impeçam ou dificultem, de forma direta ou indireta, a preparação da Superliga, particularmente, a exclusão dos clubes ou dos jogadores de qualquer competição, nacional ou internacional", diz  decisaão.

A Superliga Europeia, criada por seis clubes ingleses (Arsenal, Chelsea, Tottenham, Liverpool, Manchester City, Manchester United), três espanhóis (Real Madrid, Barcelona, Atlético de Madrid) e três italianos (Juventus, Milan AC, Inter de Milão), provocou uma onda de choque no futebol europeu.

Segundo comunicado divulgado pelo grupo de equipes de Inglaterra, Espanha e Itália aos presidentes Gianni Infantino, da Fifa, e Aleksander Ceferin, da Uefa, a Superliga já tem um compromisso assinado de US$ 5,5 bilhões (R$ 30,51 bilhões) com o banco norte-americano JP Morgan para realizar a competição.

Na segunda-feira (19) a UEFA avisou os times da Superliga que iria punir os participantes, impedindo que eles participassem de suas ligas nacionais, como Premier League, LaLiga e Serie A. "Essa ameaça nos levou a tomar medidas protetivas que nos protegerão de qualquer reação adversa, que poderiam não só atrapalhar os compromissos dos clubes fundadores mas que, acima de tudo, seria contra a lei", diz trecho da carta da equipes, dirigida a Infantino e Ceferin.

Com informações do UOl e ESPN.

 

 

Fique por dentro de tudo que acontece no mundo jurídico no Portal Juristas, siga nas redes sociais: FacebookTwitterInstagram e Linkedin. Adquira sua certificação digital e-CPF e e-CNPJ na com a Juristas Certificação Digital, entre em contato conosco por email ou pelo WhatsApp (83) 9 93826000

Ricardo Krusty
Ricardo Krusty
Comunicador social com formação em jornalismo e radialismo, pós-graduado em cinema pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Deixe um comentário

Compartilhe

Inscreva-se

Últimas

Recentes
Veja Mais

Modelo de recurso contra multa por não obedecer à sinalização de trânsito

Modelo para recurso contra multa por não obedecer à...

TJSP invalida venda de empresa por inclusão de crédito do qual não é titular

A 1ª Câmara Reservada de Direito Empresarial do Tribunal de Justiça de São Paulo, em julgamento estendido, declarou a invalidade da venda de uma empresa que incluía no preço final valores de precatórios dos quais não era titular, caracterizando uma operação de crédito a non domino.

Mantida multa de empresa que vendia produtos fora do prazo de validade

A 13ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) confirmou a decisão da Vara de Viradouro, proferida pela juíza Débora Cristina Fernandes Ananias Alves Ferreira, que negou o pedido de anulação de uma multa aplicada pelo Procon a um estabelecimento comercial. O local foi multado em R$ 20,6 mil por vender produtos fora do prazo de validade.

Plano de saúde custeará exame genético para tratamento de síndrome

A 9ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) manteve a decisão da 10ª Vara Cível de Campinas, proferida pelo juiz André Pereira de Souza, que determinou que uma operadora de plano de saúde deve autorizar e custear a avaliação genética com pesquisa etiológica para um beneficiário portador da Síndrome de West.